Oeste da Bahia: Dia de Campo do Algodão aborda tema voltado para qualidade da fibra

Visando ajudar os cotonicultores baianos a manter esse importante diferencial competitivo, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Fundação Bahia e Embrapa Algodão realizaram no dia 2 de julho, o Dia de Campo do Algodão – tradicional evento da cotonicultura da Bahia -, que neste ano veio com o tema: "Qualidade da Fibra de Algodão: o diferencial que agrega valor". O evento foi realizado no Campo Experimental da Fundação Bahia, em Luís Eduardo Magalhães e contou com cerca de 400 participantes, entre eles, produtores, gerentes de fazendas, técnicos, consultores, instituições de ensino e pesquisa, acadêmicos, entidades do agronegócio, autoridades e multinacionais.

Para o presidente da Abapa, Celestino Zanella, o evento é uma oportunidade para os produtores conhecerem os trabalhos de pesquisa, desenvolvidos na região. “O Dia de Campo nos mostra que é possível desenvolvermos, ainda mais, a agricultura na região. Estas pesquisas realizadas nos fazem acreditar que um dia poderemos escolher as variedades nos talhões dos nossos campos experimentais, e plantarmos com mais segurança e certeza de que estamos plantando uma fibra diferenciada. Nesse dia estaremos mais tranquilos e é isso que esperamos das nossas entidades parceiras, Embrapa e Fundação Bahia”, disse Zanella.

Com três estações montadas, o evento abordou temas pertinentes ao novo momento em que vive o algodão. Na primeira estação, o pesquisador da Fundação Bahia, Dr. Murilo Pedrosa e os pesquisadores Embrapa Algodão, Camilo de Lelis Morello e Dr. Nelson Suassuna, abordaram o tema: ‘Adoção de Novas Cultivares de Algodão para o Oeste da Bahia - Cultivares Bollgard II com Genética Embrapa e Fundação Bahia’. Na segunda estação, o pesquisador da Embrapa Algodão, Dr. Júlio Bogiani, abordou o tema: ‘Benefícios do SPD e Cultivo de cobertura para o algodoeiro’, enquanto que o pesquisador da Embrapa Algodão, Dr. João Henrique Zonta, falou sobre o 'Uso eficiente da água no sistema de cultivo'. Na terceira estação, o pesquisador Dr. Eleusio Curvelo, falou sobre ‘Evolução da Qualidade da Fibra na Bahia’, enquanto que o tema: 'Qualidade de Fibra: Do Plantio à Colheita', ficou por conta do consultor Geraldo Pereira e do gerente de Laboratório da Abapa, Sérgio Brentano.
 

 
“No Dia de Campo, podemos mostrar um pouco do que temos realizado em termos de pesquisa. Temos a Embrapa muito presente em nossa região, e temos desenvolvido alguns projetos que serão cruciais para o desenvolvimento da cotonicultura na Bahia”, disse o presidente da Fundação Bahia, Ademar Marçal.

Durante o evento, o presidente do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), Haroldo Rodrigues da Cunha, ressaltou a maneira que os cotonicultores na Bahia têm conduzido a situação nesse momento difícil em que passa a agricultura no estado. “Diante desse cenário de dificuldade, estamos vendo nesse evento, um olhar para a sustentabilidade, e isso é muito relevante. Estamos vendo muita preocupação em produzir a um custo mais baixo, e ajustar questões de manejo, que eventualmente vão custar muito menos. É muito interessante quando a gente fala de manejo de solo, rotação de cultura e cobertura vegetal, e isso é que vai dar o sucesso lá na frente. Estamos vendo que é preciso se preparar para os anos difíceis que virão, com um manejo mais adequado, para que o produtor sofra menos, e assim, nos anos bons, isso potencialize mais ganhos. Essa abordagem foi bem interessante, a Bahia tem um potencial produtivo gigantesco e na hora que vier, isso vai aparecer e refletir em produtividade e rentabilidade para o produtor”, disse Haroldo.

Release - Dia de Campo do Algodão aborda tema voltado para qualidade da fibra
Imprensa Abapa
Adicionar aos contatos
Anexo
11:41
[Manter esta mensagem na parte superior de sua caixa de entrada]
Documentos, Fotos
Para: Imprensa Abapa
imprensa@abapa.com.br
Outlook.com Exibição Ativa
4 anexos (total de 4,7 MB)
Clique para obter Opções
Release - Dia de Campo do Algodão aborda tema voltado para qualidade da Fibra.doc
Clique para obter Opções
Clique para obter Opções
Clique para obter Opções

Exibir apresentação de slides (3)
Baixar tudo como zip
Salvar tudo no OneDrive

Dia de Campo do Algodão aborda tema voltado para qualidade da fibra

O tradicional evento acontece no Campo Experimental da Fundação Bahia

Visando ajudar os cotonicultores baianos a manter esse importante diferencial competitivo, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Fundação Bahia e Embrapa Algodão realizaram no dia 2 de julho, o Dia de Campo do Algodão – tradicional evento da cotonicultura da Bahia -, que neste ano veio com o tema: "Qualidade da Fibra de Algodão: o diferencial que agrega valor". O evento foi realizado no Campo Experimental da Fundação Bahia, em Luís Eduardo Magalhães e contou com cerca de 400 participantes, entre eles, produtores, gerentes de fazendas, técnicos, consultores, instituições de ensino e pesquisa, acadêmicos, entidades do agronegócio, autoridades e multinacionais.

Para o presidente da Abapa, Celestino Zanella, o evento é uma oportunidade para os produtores conhecerem os trabalhos de pesquisa, desenvolvidos na região. “O Dia de Campo nos mostra que é possível desenvolvermos, ainda mais, a agricultura na região. Estas pesquisas realizadas nos fazem acreditar que um dia poderemos escolher as variedades nos talhões dos nossos campos experimentais, e plantarmos com mais segurança e certeza de que estamos plantando uma fibra diferenciada. Nesse dia estaremos mais tranquilos e é isso que esperamos das nossas entidades parceiras, Embrapa e Fundação Bahia”, disse Zanella.

Com três estações montadas, o evento abordou temas pertinentes ao novo momento em que vive o algodão. Na primeira estação, o pesquisador da Fundação Bahia, Dr. Murilo Pedrosa e os pesquisadores Embrapa Algodão, Camilo de Lelis Morello e Dr. Nelson Suassuna, abordaram o tema: ‘Adoção de Novas Cultivares de Algodão para o Oeste da Bahia - Cultivares Bollgard II com Genética Embrapa e Fundação Bahia’. Na segunda estação, o pesquisador da Embrapa Algodão, Dr. Júlio Bogiani, abordou o tema: ‘Benefícios do SPD e Cultivo de cobertura para o algodoeiro’, enquanto que o pesquisador da Embrapa Algodão, Dr. João Henrique Zonta, falou sobre o 'Uso eficiente da água no sistema de cultivo'. Na terceira estação, o pesquisador Dr. Eleusio Curvelo, falou sobre ‘Evolução da Qualidade da Fibra na Bahia’, enquanto que o tema: 'Qualidade de Fibra: Do Plantio à Colheita', ficou por conta do consultor Geraldo Pereira e do gerente de Laboratório da Abapa, Sérgio Brentano.
 
Representante de entidades participaram do evento

“No Dia de Campo, podemos mostrar um pouco do que temos realizado em termos de pesquisa. Temos a Embrapa muito presente em nossa região, e temos desenvolvido alguns projetos que serão cruciais para o desenvolvimento da cotonicultura na Bahia”, disse o presidente da Fundação Bahia, Ademar Marçal.

Durante o evento, o presidente do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), Haroldo Rodrigues da Cunha, ressaltou a maneira que os cotonicultores na Bahia têm conduzido a situação nesse momento difícil em que passa a agricultura no estado. “Diante desse cenário de dificuldade, estamos vendo nesse evento, um olhar para a sustentabilidade, e isso é muito relevante. Estamos vendo muita preocupação em produzir a um custo mais baixo, e ajustar questões de manejo, que eventualmente vão custar muito menos. É muito interessante quando a gente fala de manejo de solo, rotação de cultura e cobertura vegetal, e isso é que vai dar o sucesso lá na frente. Estamos vendo que é preciso se preparar para os anos difíceis que virão, com um manejo mais adequado, para que o produtor sofra menos, e assim, nos anos bons, isso potencialize mais ganhos. Essa abordagem foi bem interessante, a Bahia tem um potencial produtivo gigantesco e na hora que vier, isso vai aparecer e refletir em produtividade e rentabilidade para o produtor”, disse Haroldo.

Na terceira estação, o gerente de Laboratório da Abapa, Sérgio Brentano falou sobre qualidade da fibra

Para o estudante do Curso Técnico em Agropecuária, do Instituto Federal da Bahia, campus Itapetinga, o evento trouxe para ele e sua turma de 15 estudantes, muito aprendizado. “Na sala de aula ouvimos falar de todos esses assuntos, vivenciar isso no campo, é diferente. Foi muito importante para a nossa formação esse momento em que passamos ouvindo pesquisadores que tem estudado melhorias, do plantio até a colheita, no campo”, disse o estudante.

O Dia de Campo do Algodão conta com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão e do Fundeagro.

Assessoria de Comunicação - Associação Baiana dos Produtores de Algodão
Oeste da Bahia: Dia de Campo do Algodão aborda tema voltado para qualidade da fibra Oeste da Bahia: Dia de Campo do Algodão aborda tema voltado para qualidade da fibra Reviewed by BarreirasNoticias on quarta-feira, julho 06, 2016 Rating: 5