Presidente do TSE comenta atentados políticos em Brasília (DF)

Em Brasília, o presidente do TSE, o ministro Gilmar Mendes, pediu providências ao Ministério da Justiça e à Polícia Federal. 
O atentado em Itumbiara aumentou a preocupação do Tribunal Superior Eleitoral com os casos de violência ligados às eleições. O presidente do TSE considerou o episódio chocante e deplorável.
“Gostaria de registrar que diante dos fatos que vem ocorrendo de violência nas eleições
como o episódio de ontem manifestado em Itumbiara. Nós estamos em contato com o Ministério da Justiça e também já pedimos que a Polícia Federal atue na investigação desses episódios, claro, que podem afetar o pleito eleitoral. Nós estamos acompanhando com todo cuidado os desdobramentos desse episódio e pedindo que eles sejam desde logo esclarecidos e investigados”, explica Gilmar Mendes.

Segundo o Tribunal, até o momento ocorreram 20 homicídios envolvendo pré-candidatos ou candidatos a cargos eletivos nas eleições deste ano, em dez estados, Rio de janeiro, São Paulo, Cear, Bahia, Alagoas, Rio Grande do Norte, Acre, Rondônia, Rio Grande do Sul e Goiás.

Os dados não incluem os episódios mais recentes como o desta quarta-feira (28) em Itumbiara e o assassinato do presidente da Portela e candidato a vereador Marcos Vieira Souza, na segunda-feira (26).

As causas da violência ainda estão sendo investigadas, mas o presidente do TSE citou a possiblidade de envolvimento do crime organizado nas eleições. A Justiça Eleitoral definiu nesta quinta-feira (29) os municípios que vão receber reforço na segurança por causa da votação no domingo. O envio das tropas federais é coordenado pelo Ministério da Defesa.
Cerca de 25 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica vão trabalhar no primeiro turno das eleições municipais deste ano. Eles vão reforçar a segurança em 306 localidades.
Na região Norte, as forças armadas vão atuar em seis estados com aproximadamente 7,7 mil homens. No Nordeste, serão 5,3 mil militares no Maranhão, em Alagoas, Sergipe e Rio Grande do Norte.

No Centro-oeste, os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul receberão aproximadamente 2,3 mil militares. No Sudeste, o único estado que contará com as Forças Armadas será o Rio de Janeiro. Lá, cerca de 6,5 mil militares vão atuar em 11 localidades.
O Tribunal Superior Eleitoral já identificou 93 mil pessoas de baixa renda ou com ganhos incompatíveis às contribuições que fizeram para candidatos a prefeito e a vereador. Ao todo, essas pessoas teriam doado R$ 300 milhões.

O levantamento do TSE mostra que 22 mil inscritos no Bolsa Família teriam doado pouco mais de 21 milhões para campanhas. E cerca de 46 mil desempregados teriam contribuído com 52 milhões. O TSE suspeita que algumas campanhas teriam usado o CPF de cidadãos comuns para injetar dinheiro nas campanhas. G1
Presidente do TSE comenta atentados políticos em Brasília (DF) Presidente do TSE comenta atentados políticos em Brasília (DF) Reviewed by CM on quinta-feira, setembro 29, 2016 Rating: 5