Suspeitas de esfaquearem transexual agredida dentro de hospital são liberadas por falta de provas

O caso da transexual que foi agredida dentro de um hospital após ser esfaqueada ganhou um novo capítulo. Natylla Mota Barreto, de 21 anos, mesmo precisando de socorro, foi agredida com tapas e chutes por duas mulheres. Elas foram detidas, mas liberadas logo em seguida.
Segundo a polícia, as mulheres, que não tiveram as identidades reveladas, são amigas da moça que aparece no vídeo agredindo a vítima.
Elas foram levadas a delegacia, onde prestaram depoimento e, de acordo com o órgão, foram liberadas por falta de provas. 
O caso aconteceu no sábado (8), quando a vítima foi esfaqueada por duas mulheres numa praça da cidade de Maiquinique, 631 km de Salvador. Ao chegar no hospital, foi agredida novamente por outra mulher. Natila ficou 10 dias internada e teve alta esta semana. Ainda segundo a polícia, esse é um típico caso de homofobia.(R7)
Suspeitas de esfaquearem transexual agredida dentro de hospital são liberadas por falta de provas Suspeitas de esfaquearem transexual agredida dentro de hospital são liberadas por falta de provas Reviewed by CM on sexta-feira, outubro 21, 2016 Rating: 5