Camelô que virou banqueiro ensina a tirar vantagem da crise

David Portes já foi cortador de cana, vendedor de amendoim, motorista, pedreiro e morador de rua. Em 1986, desempregado e com o equivalente a R$ 12 no bolso, começou a vender balas no Centro do Rio e nunca mais parou de negociar. Suas ideias criativas para atrair a clientela em uma banca de camelô conquistaram o mundo.
Hoje, aos 57 anos, é dono das empresas Talk About, D!Marketing, AD POP e Investicomm, além de rodar o planeta dando palestras sobre a sua história de superação. Agora, o empresário se prepara para dar o maior passo da carreira: abrir um banco.
— É da banca para o banco — brinca, sem perder a simplicidade herdada dos pais, que se sustentaram cortando cana em Campos dos Goytacazes.

O banco virtual Umclub tem previsão de lançamento para janeiro de 2017, e traz uma proposta que promete incomodar os bancos comuns.
— Não terá taxa de assinatura e nem anuidade. E, além de ter cartão gratuito, o correntista vai participar de um clube de vantagens. Já temos 300 estabelecimentos cadastrados em nossa rede credenciada, que vai oferecer descontos em compras — promete.

A trajetória de David rumo ao sucesso não foi rápida nem fácil. Mas o ex-camelô, que não concluiu o ensino fundamental, dá a receita do sucesso: acreditar em si mesmo, ser criativo e trabalhar duro.
Em sua banca, montada na Avenida Presidente Wilson, David desenvolveu estratégias de marketing e vendas — sem nem mesmo se dar conta do que estava fazendo.

Em 1990, quando linhas telefônicas eram artigo de luxo, usou dois orelhões próximos à banca para criar serviço de delivery. Dois anos depois, quando a internet ainda engatinhava, montou um sistema de e-commerce, para receber pedidos pela internet. No mesmo ano, dividiu a banca em setores, como uma loja de departamentos, e passou a fazer promoções e sorteios.

Em tempos de crise, ele vê oportunidades e defende que ninguém desista dos sonhos.
— É preciso tirar o “s” da crise, e deixar só a palavra crie.

Dez dicas de David

Acredite em você: “Você acreditaria na possibilidade de um camelô se tornar milionário? Eu acreditei. Se você não for o primeiro a acreditar em si mesmo, ninguém mais será”.

Onde você quer chegar? “Todos devem ter objetivos. Há algumas dicas que ajudam a traçar um caminho: criar metas possíveis e reais, estabelecer um período de tempo para cada uma delas e escrever num papel as etapas necessárias para alcançá-las”.

Dê asas à imaginação: “Na minha época de camelô, quando vi que a concorrência estava ficando muito forte, busquei um diferencial. Criatividade é isso: executar algo diferente do habitual. Um bom estímulo à criatividade é a leitura”.

Faça networking: “Networking é uma rede de contatos e que você pode usar durante a sua vida. Muitos empregos surgem por meio do networking. Estes laços profissionais podem ser criados no trabalho, em festas, recepções e até na própria família”.

Aprenda a negociar: “Tenha em mente o preço mínimo a que você pode chegar. Seja paciente e flexível. Pesquise tudo sobre a pessoa com a qual você vai negociar. Fique calmo e demonstre naturalidade na negociação. Parecer nervoso ou muito confiante só atrapalha”.

Guarde 20% do salário: “Não importa se você ganha muito ou pouco, essa dica é fundamental. O dinheiro economizado servirá para emergências, para uma renda extra, para abrir um negócio ou até mesmo para auxiliar na sua aposentadoria”.

Vida é dura para o mole: “Se você quer melhorar de vida, então precisa de muita dedicação. Seja o primeiro a chegar e o último a sair. Há sempre alguém fazendo aquilo que você faz, então faça melhor e com mais afinco”.

Escolha bem o parceiro: “É importante escolher os melhores para trabalhar com você. Faça entrevistas sempre, mesmo que não tenha vagas. Nunca contrate ninguém só pelo currículo ou alguém que veja a empresa apenas como o local que paga seu salário”.

Faça cursos e estude: “Seja qual for sua ocupação, é preciso estudar sempre. Com os cursos à distância, isso se tornou mais simples. São boas opções para se especializar e, de quebra, conhecer novas pessoas e aumentar o seu capital social”.

Aceite desafios: “Alguns têm o péssimo hábito de reclamar quando uma meta é imposta. Desde que o objetivo seja viável, não há o que temer. E digo mais: você mesmo deve se propor desafios. Assim, sua atividade será mais dinâmica e interessante”. Do Extra
Camelô que virou banqueiro ensina a tirar vantagem da crise Camelô que virou banqueiro ensina a tirar vantagem da crise Reviewed by CM on domingo, novembro 13, 2016 Rating: 5