Intel promete novos chips para inteligência artificial no próximo ano

A Intel está assumindo uma nova direção no desenvolvimento de chips a medida que a empresa aposta que a inteligência artificial permeará aplicativos e serviços da web.
A companhia disse na última semana que está desenvolvendo novos chips que irão lidar com operações de inteligência artificial. Por enquanto, os chips serão lançados como chips primários ou co-processadores para computadores e separados das principais linhas de produtos.Mas ao longo do tempo, a Intel poderia adaptar e integrar os recursos de IA em seu servidor mainstream, em IoT (Internet das Coisas), e talvez até mesmo em chips para PC. Os recursos de IA podem ser úteis em servidores, drones, robôs e carros autônomos. Vale ressaltar que a Intel tem perseguido agressivamente esses setores enquanto tenta diversificar-se para além do cada vez mais enfraquecido mercado de PCs.

Atualmente as GPUs da Nvidia e chips personalizados de empresas como o Google dominam a inteligência artificial. O plano da Intel é oferecer uma ampla gama de chips alternativos a GPU para aprendizado profundo em uma tentativa de acelerar sua entrada na tecnologia. A Intel perdeu uma oportunidade no mercado móvel porque era um participante tardio, e não quer repetir esse erro na IA.A companhia não conta com uma potente GPU para perseguir a inteligência artificial como a Nvidia, mas espera que os chips alternativos preencham a lacuna.

Aprendizagem profunda

A Intel está desenvolvendo um poderoso chip de IA batizado de Knights Mill, direcionado para aprendizagem profunda, e fará parte da família de chips Xeon Phi. A empresa compartilhou poucos detalhes sobre o chip, mas será quatro vezes mais rápido em tarefas de aprendizagem profunda do que o atual chip Xeon Phi chamado Knights Landing, disse Jason Waxman, vice-presidente corporativo do Data Center Group da Intel.O Knights Mill será lançado no próximo ano e terá várias características exclusivas. Ao contrário dos chips de alto desempenho da Intel, que se concentram em cálculos precisos, o Knights Mill juntará um grupo de cálculos rápidos de ponto flutuante de baixo nível para chegar a conclusões. Essas conclusões chegam à essência da aprendizagem profunda - algumas conclusões como a identificação de uma imagem nem sempre podem ser precisas. Mas à medida que o modelo de aprendizagem profunda se fortalecer, as conclusões serão mais precisas.

No primeiro semestre do próximo ano, a Intel também lançará o primeiro hardware de aprendizado profundo, resultado de sua recente aquisição da Nervana Systems. Esse chip será direcionado principalmente para servidores e para a formação de modelos de computação para a aprendizagem profunda. Ele também pode ser usado para inferência, o que melhora os modelos de aprendizagem profunda através de entrada adicional.Recentemente, a Intel adquiriu a Movidius, fabricante de chips de visão computacional usados no Google Glass. Os chips Movidius poderiam ser usados em wearables, drones e robôs para reconhecimento de objetos e medição de profundidade.A Intel também vende FPGAs (matrizes de portas programáveis em campo), que são circuitos que podem ser reprogramados para realizar tarefas específicas. A Intel pretende colocar a tecnologia em servidores, carros autônomos, robôs e drones. No próximo ano, a empresa lançará o Deep Learning Inference Accelerator, um FPGA que competirá com chips de inferência como o Tensor Processing Unit do Google.

A urgência da Intel é provocada por um aumento do interesse pela IA, uma tecnologia ainda em sua infância. A informação digital está sendo alimentada a partir de sensores, e a IA é uma tecnologia emergente para dar sentido a esses dados. Grandes empresas como o Google, Facebook e Amazon estão implantando software e hardware que podem tentar dar sentido às grandes quantidades de informações. Um exemplo de IA é o Cortana da Microsoft, que aplica algoritmos e FPGAs para reconhecer o discurso.Mas será que todos esses chips de IA podem causar confusão para os clientes? Quanto mais, melhor, disse Waxman; A Intel quer oferecer aos clientes uma ampla gama de alternativas. Alguns chips são melhores em tarefas específicas. Por exemplo, os FPGAs são melhores em tarefas de inferência simples como reconhecer gatos ou cães em imagens, disse Waxman.É importante que a Intel se mova rapidamente para obter um pedaço do mercado de IA, disse Jim McGregor, analista da Tirias Research.

Ao lançar muitos chips de IA no mercado, a Intel quer ver qual vai ficar. "É bom a Intel estar lá fora com múltiplas soluções. Mas a Intel não tem nenhuma vantagem sobre qualquer outra pessoa ", disse McGregor.Mas existem riscos. A Intel comprou a Nervana Systems para a sua pilha de software e qualquer tentativa de bloquear os clientes para essas ferramentas não será aceita pela indústria, pontuou McGregor. As ferramentas da Nervana são de código aberto, mas são projetadas para chips da Intel, mas os frameworks concorrentes como o Caffe estão ganhando popularidade."É uma estratégia questionável. A Intel fez isso pela última década, e eles tentaram empurrar todo mundo para baixo em seu caminho ", disse McGregor. Mas o aprendizado profundo está em sua infância. Vai levar muito tempo para aperfeiçoar técnicas computacionais para o aprendizado profundo, e novos tipos de hardware como computadores quânticos e chips que imitam o cérebro podem alterar a paisagem."Ainda estamos aprendendo a aprender", refletiu McGregor.
Intel promete novos chips para inteligência artificial no próximo ano Intel promete novos chips para inteligência artificial no próximo ano Reviewed by CM on quarta-feira, novembro 23, 2016 Rating: 5