"PREVIDÊNCIA TEM ROMBO DE R$500 BILHÕES", DIZ ARTHUR MAIA

O deputado federal baiano Arthur Maia (PPS-BA) voltou a defender a Reforma da Previdência ontem em entrevista à Rádio Metrópole, de Salvador. O relator do projeto que tramita na Câmara dos Deputados alfinetou os críticos da mudança e os acusou de “má-fé” por tentarem impedir a aprovação das medidas. “Não podemos falar apenas o que vai agradar. Não podemos falar apenas o que é agradável, legal, o que é coisa boa... Isso qualquer um pode fazer”, afirmou. “Ser bonzinho é muito fácil. Qualquer um vai na televisão e fala as coisas que todos querem ouvir”, completou.

O parlamentar afirmou que o antigo governo entregou o país em situação crítica, mas que a gestão de Michel Temer está conseguindo reverter alguns problemas “com algumas mudanças significativas”. “É por conta dessa ideia de falar o que as pessoas querem ouvir, sem nenhuma responsabilidade com a realidade, é que temos 13 milhões de desempregados”, alfinetou. Segundo Maia, a Previdência acumula uma dívida total de R$ 500 bilhões. “O dinheiro está acabando e precisam salvar a Previdência e passar o país a limpo”, disse. “Temos que colocar todos na mesma condição, nós temos que garantir os direitos dos mais pobres.

No projeto, eu garanti que a aposentadoria do trabalhador rural será de 60 anos”, apontou Maia. O parlamentar defendeu medidas mais incisivas para sanar o problema: “Nós fizemos outra mudança significativa, que proibia acumular pensão e aposentadoria. Nós garantimos isso para quem recebe até um salário mínimo. Estamos fazendo as mudanças, só que não tem mais condição da Previdência sobreviver desse jeito”. Ele ainda explicou que 55% de tudo o que é arrecadado pela União vai para a os beneficiários da Previdência. Entre os principais pontos aprovados no relatório nesta semana estão a idade mínima de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres para aposentadoria pelo INSS, além exigir pelo menos 25 anos de tempo de contribuição. Haverá uma regra de transição para quem já está no mercado. Maia afirma que não pretende fazer alterações no relatório apresentado à comissão especial.

O deputado federal Arthur Maia ainda revelou na entrevista que a situação estaria melhor se algumas empresas quitassem suas dívidas. “Algumas das empresas [que possuem dívidas] não existem mais, como a Vasp, Transbrasil. Se conseguisse apurar tudo, conseguiríamos R$ 200 bilhões. [...] Tem que cobrar, mas é uma questão do Judiciário. Ainda assim, temos que ter convicção que as cobranças por si só não resolvem nossas vidas. Não podemos permitir que as pessoas se aposentem com 40, 50 anos”.

Maia lembrou que a reforma é necessária porque, daqui a alguns anos, a Previdência não vai mais se sustentar: “O que interessa para nós é a sobrevida, para a previdência interessa saber quanto tempo vive uma pessoa de 70 anos, que já passou pelos riscos da juventude, que não está exposto a tanta violência por não circular na rua”, explicou. “Não tem conta que feche, daqui a pouco ninguém vai poder receber nada. Quem diz que a previdência não precisa de reforma, está agindo de má-fé”, completou. Segundo o deputado, o valor da dívida com as empresas daria paga pagar três meses de salários. O parlamentar afirmou ainda que o novo projeto prevê cobrar os débitos diretamente do patrimônio pessoal dos antigos donos de organizações falidas.
"PREVIDÊNCIA TEM ROMBO DE R$500 BILHÕES", DIZ ARTHUR MAIA "PREVIDÊNCIA TEM ROMBO DE R$500 BILHÕES", DIZ ARTHUR MAIA Revisado by CM on sábado, maio 06, 2017 Classificação: 5