Novas regras para compra de material escolar por escolas públicas

Com o objetivo de aumentar a participação da comunidade educacional e estabelecer avanços pedagógicos no processo de aquisição e distribuição de livros didáticos, o Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) está com novas regras. As mudanças foram divulgadas nesta quarta-feira (19), em decreto presidencial, publicado no Diário Oficial da União.  Aguardado para os próximos dias, o edital prevê novidades no processo de compra e distribuição de material voltado à educação infantil e aos anos iniciais do ensino fundamental. A partir de 2019, o PNLD terá ciclos de quatro anos, e não mais de três, como é atualmente. Além disso, todos os livros do 1º ao 5º anos passarão a ser do aluno, não precisando ser devolvidos ao final do ano letivo. 

O controle sobre a aquisição do material também foi aprimorado. A avaliação das obras inscritas no PNLD passa a ser feita por equipes mais plurais, composta por especialistas das diferentes áreas do conhecimento, professores da educação básica e do ensino superior de instituições públicas e privadas. Segundo o secretário de Educação Básica do MEC, Rossieli Soares da Silva, a avaliação do livro didático é um processo complexo, delicado e longo. “Estamos migrando para algo que continua tendo a participação de professores das universidades, mas incluindo e fortalecendo a participação de professores da educação básica, que são os usuários, junto com os alunos, desse material. São eles que utilizam o livro didático no dia a dia e, por isso, conseguem fazer uma avaliação sobre uma perspectiva diferente, ajudando a aprimorar o programa."

Mais mudanças:  Outro avanço é que os professores da educação infantil e de educação física passarão a compor o Programa Nacional do Livro e do Material Didático, recebendo livros pela primeira vez. Também serão criados livros de projetos integradores para auxiliar os professores e alunos a trabalharem os componentes curriculares de forma integrada.  Além de prover as escolas públicas com livros didáticos e acervos de obras literárias, obras complementares e dicionários para as escolas públicas de educação básica das redes de ensino federal, estaduais, municipais e do Distrito Federal, o novo PNLD também disponibilizará softwares e jogos educacionais, como também outros materiais de apoio à prática pedagógica. Com informações do Portal Brasil.
Novas regras para compra de material escolar por escolas públicas Novas regras para compra de material escolar por escolas públicas Revisado by CM on quinta-feira, julho 20, 2017 Classificação: 5

Postagem em destaque

SEJA UM OPERADOR DE COLHEITADEIRA: VAGAS LIMITADAS