Uso de tabaco causa despesas da ordem de R$ 56 bi/ano para o país

Hoje é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Fumo, que visa reforçar as ações de sensibilização e mobilização da população para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco. Pesquisa realizada pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) e Ministério da Saúde (MS) apurou, pela primeira vez, o custo do uso do tabaco para o país e descobriu que o tabagismo causa uma despesa anual de R$ 56,9 bilhões.
Destes, R$ 39,4 bilhões seriam gastos com tratamento de doenças relacionadas ao tabaco e R$ 17,5 bilhões com custos relacionados com a perda da produtividade de trabalhadores, com mortes prematuras e incapacitação de empregados. Segundo o pneumologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Elie Fiss, é possível entender melhor o custo que se tem quando se contabiliza o que é gasto em saúde pública com o tratamento de doenças causadas pelo tabagismo. "Com a redução do consumo, menor o gasto com o tratamento. É uma reação em cadeia", afirma.
A arrecadação de impostos com a indústria de cigarros é de R$ 12,9 bilhões, o que significa, na verdade, que o país sofre um prejuízo de R$ 44 bilhões ao ano, de acordo com a Advocacia Geral da União (AGU).

Problema de saúde
Todo ano, mais de 150 mil pessoas morrem no Brasil em decorrência do consumo do cigarro. No mundo, esse número chega a 6 milhões. Causado pela dependência à nicotina, o tabagismo está na origem de 90% dos casos de câncer de pulmão, e fumantes têm cerca de 20 vezes mais risco de desenvolver a doença. Somente no Brasil, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima mais de 28 mil novos casos de tumores pulmonares ao ano.
Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabagismo é a principal causa de morte evitável no planeta. Além dos dados alarmantes sobre a incidência de cânceres em fumantes, o consumo do cigarro é, também, um dos principais fatores de risco para doenças crônicas. "O tabagismo é causador de enfisema pulmonar, bronquite crônica e doenças cardiovasculares, por exemplo. Mais de 50 doenças crônicas são causadas pelo consumo do cigarro", afirma o pneumologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Dr. Elie Fiss.
De acordo com a Dra. Jaqueline Scholz, coordenadora de pesquisa do Incor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP), os níveis de nicotina contidos nos cigarros eletrônicos podem ser tão altos quanto os dos cigarros comuns, com consequências semelhantes no que diz respeito a riscos de doenças do coração, pulmão e câncer.

Os dados preliminares do estudo, que deve terminar em 2018, constatam que o fumante do cigarro eletrônico acaba por consumir a mesma quantidade de nicotina que inalaria fumando o cigarro comum. Essa condição faz com que o vício se mantenha, com todas as consequências nefastas para a saúde, diz a médica. "Assim como o cigarro comum, o eletrônico possui substâncias cancerígenas e temperatura de combustão prejudicial à mucosa bucal".

Gabriela Albach | A TARDE SP

Uso de tabaco causa despesas da ordem de R$ 56 bi/ano para o país Uso de tabaco causa despesas da ordem de R$ 56 bi/ano para o país Revisado by CM on terça-feira, agosto 29, 2017 Classificação: 5

Postagem em destaque

SEJA UM OPERADOR DE COLHEITADEIRA: VAGAS LIMITADAS