Ministério da Saúde quer desenvolver nova política de saúde mental

Relatório sobre a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) elaborado pelo Ministério da Saúde mostrou que R$ 185 milhões aportados para financiar serviços nessa área, nos últimos dez anos, não foram aplicados. 

Cerca de 16% dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) – 385 de um total de 2.465 – não registraram atendimentos nos últimos três meses. Já metade dos 1.164 leitos destinados à internação de pessoas com doenças mentais em hospitais comuns não tem registrado ocupação, enquanto 44 hospitais psiquiátricos tiveram atendimento acima da capacidade. Diante desse quadro, a pasta anunciou a criação de um grupo de trabalho que será formalizado neste mês. 

O anúncio foi feito, segundo a Agência Brasil, durante reunião da Comissão Intergestores Tripartites (CIT), instância que reúne representantes do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems), além de gestores do próprio Ministério da Saúde.

De acordo com o coordenador de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas do ministério, Quirino Cordeiro Junior, o objetivo é aprimorar o diagnóstico e propor medidas para que os serviços sejam ofertados com mais efetividade e otimização de recursos. (BN)
Ministério da Saúde quer desenvolver nova política de saúde mental Ministério da Saúde quer desenvolver nova política de saúde mental Revisado by CM on segunda-feira, setembro 11, 2017 Classificação: 5

Postagem em destaque

SEJA UM OPERADOR DE COLHEITADEIRA: VAGAS LIMITADAS