quinta-feira, março 22, 2018

Técnico do Bahia diz que não pede para sair

O Bahia sofreu uma virada pouco tempo após abrir o placar, de 2 a 1 para o Altos, do Piauí, no início do segundo tempo do jogo de terça-feira na Arena Fonte Nova. E a situação do técnico Guto Ferreira ficou insustentável diante dos protestos e vaias da torcida Tricolor. Mas, não demorou muito, logo em seguida, o time Tricolor "atropelou" o adversário e conseguiu vencer por 5 a 2. 

"Eu não me demitiria. Acredito naquilo que a gente está fazendo. Acredito sim em tudo o que estamos trabalhando no dia a dia. Sabemos das dificuldades, e eu não vou aqui colocar nada como desculpa. Seguindo nessa linha, vamos seguir tendo dificuldades, mas vamos seguir superando as dificuldades e vamos atingir o que a gente busca... Tenho condições de tirar o melhor, e a direção também visa situação de melhora", disse o treinador. 

Em análise sobre a partida, Guto admitiu insatisfação pelo primeiro tempo feito por sua equipe, mas valorizou o poder de reação que fez o placar ser elástico no fim dos 90 minutos. 

"Tem tanta coisa que passa... Acho que começamos mal o jogo. Às vezes você começa mal e não consegue pegar o timing do jogo. Nosso time voltou com outra postura. Conseguimos o primeiro gol e vacilamos duas vezes, mas tivemos a força de recuperar a situação e, aí sim, fazer um placar elástico. As bolas começaram a entrar e, graças a Deus, terminou tudo bem", analisou. 

O treinador também foi perguntado sobre o motivo da diferença de desempenho do time em cada um dos tempos.”Tudo isso faz parte do contexto do jogo. O importante não é como começa, é como termina. E como terminou hoje que foi importante", comentou. Por Victor de Freitas, ecbahia.com. (TRBN)

Curta nossa Fan-Page

Postagem em destaque

Veja dica: COMO EVITAR ASSALTO NO SEU NEGOCIO OU COMERCIO

Resumindo com o uso da Maquininha você diminui o contato direto com dinheiro, o que resulta em mais segurança para o seu financeiro. ...