quarta-feira, outubro 03, 2018

Entrada de empresas no país cai pelo 7º ano consecutivo, diz IBGE

A taxa de entrada de empresas tem caído no país há sete anos consecutivos e chegou em 2016 a uma retração de 14,5%, o menor valor da série histórica iniciada em 2008. É o que revela a pesquisa Demografia das Empresas e Estatísticas de Empreendedorismo 2016, que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, hoje (3), no Rio de Janeiro. 


Os dados indicam que, pelo terceiro ano seguido, o saldo no total de empresas ficou negativo em 2016, com queda de 1,6%, o equivalente a menos 70,8 mil organizações. Também o número de pessoal assalariado sofreu retração de 4,8%, o equivalente a 1,6 milhão de pessoas a menos. 

Foi a segunda queda seguida. Dados do Cadastro Central de Empresas (Cempre) indicam que, em 2016, o Brasil tinha 4,5 milhões de empresas ativas que ocupavam 38,5 milhões de pessoas. Deste total, 32 milhões, o equivalente a 83,1%, trabalhavam como assalariadas e 6,5 milhões (16,9%) como sócias ou proprietárias. Apesar do número expressivo de empresas ativas no país, a relação da taxa de entrada e saída de empresas tem caído. De 2015 para 2016, a taxa de entrada das empresas foi de 14,5%, o equivalente a 648,5 mil, enquanto a taxa de saída atingiu 711,9 mil empresas (16,1%). 

Curta nossa Fan-Page

Postagem em destaque

PARABÉNS SÃO DESIDÉRIO