LEM
Desembargadora diz que ideia de executar Jean Wyllys era ‘piada’ - Blog Barreiras Noticias || O Vlog do oeste da Bahia

Desembargadora diz que ideia de executar Jean Wyllys era ‘piada’

A desembargadora Marília Castro Neves, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, disse que tratavam-se de "brincadeiras" seus comentários a respeito do deputado Jean Wyllys (Psol-RJ).
Segundo o parlamentar, a magistrada disse num grupo no Facebook que ele deveria ser executado, por ser a favor de uma "execução profilática". "O problema da esquerda é o mau humor", minimizou.

"Isso foi falado no meu Facebook particular com um amigo, que não era magistrado. E o nome dele [Jean Wyllys] surgiu aleatoriamente na conversa. Eu não sugeri nada de morte dele. Meu amigo é que sugeriu que se houvesse... porque naquela época, tem uns três anos, se discutia intervenção militar, começaram a falar de intervenção militar, se os militares voltassem, o que iriam fazer. E esse meu amigo, de brincadeira – porque era tudo brincadeira no Face, até porque eu só usava o Face naquela época para brincadeira mesmo –, falou ‘mas quem você acha que seria fuzilado?’. Aí eu falei, de brincadeira também: ‘Quem não escaparia de um fuzilamento profilático eu acho que seria o Jean Wyllys’. Mas só isso. Não sugeri que ele fosse morto”, garantiu ao ConJur.

Em recente entrevista à Folha na qual anunciou que não tomara posse como deputado federal (relembre aqui) , o baiano relatou:  “A violência contra mim foi banalizada de tal maneira que Marília Castro Neves, desembargadora do Rio de Janeiro, sugeriu a minha execução num grupo de magistrados do Facebook. Ela disse que era a favor de uma execução profilática, mas que eu não valeria a bala que me mataria e o pano que limparia a lambança. Na sequência, um dos magistrados falou que eu gostaria de ser executado de costas. E ela respondeu: ‘Não, porque a bala é fina’. Veja a violência com homofobia dita por uma desembargadora do Rio de Janeiro. Como é que posso imaginar que vou estar seguro nesse estado que represento, pelo qual me elegi?”

De acordo com a magistrada, o deputado federal faz declarações irônicas, mas, quando é alvo delas, diz que foram feitas a sério. Ela nega que tenha contribuído para o clima de homofobia e violência relatados pelo deputado. E duvida que ele seja sincero quanto aos motivos alegados para deixar o país. “Não sei qual é a razão pela qual ele está saindo. Eu posso até ter uma opinião a respeito, eu posso imaginar a razão, mas acredito que não é essa que ele declarou. Espero que ele seja muito feliz nessa opção, de sair do país, e que em breve se descubra a razão real da saída dele”.

Barreiras Notícias  /  Bahia Notícias
Desembargadora diz que ideia de executar Jean Wyllys era ‘piada’ Desembargadora diz que ideia de executar Jean Wyllys era ‘piada’ Reviewed by Oeste Politica on domingo, janeiro 27, 2019 Rating: 5

Postagem em destaque

ACABE COM A INADIMPLÊNCIA DA SUA EMPRESA