ADVOGADA É SENTENCIADA A 38 ANOS E 148 CHIBATADAS POR DEFENDER DIREITO DE MULHERES NÃO USAREM LENÇOS NA CABEÇA

Uma sentença total de 38 anos de cadeia foi dada após uma advogada defender os direitos humanos das mulheres. Além disso, 148 chibatadas foram estipuladas como castigo “justo”.

Nasrin Sotoudeh é uma advogada e ativista premiada. Ela já havia sido condenada anteriormente a 33 anos, mas teve 5 anos acrescentados em sua pena total e já começou a cumprir a nova sentença, de acordo com seu marido, Reza Khandan. Ele postou em seu Facebook a informação.

Sotoudeh, 55 anos, foi acusada por assumir diversos casos de mulheres que foram presas por aparecerem em público sem usar o lenço islâmico na cabeça – em protesto ao Código de Vestimenta Obrigatório imposto no Irã.

A advogada foi presa em junho de 2018. Mas, recentemente, mesmo na ausência de acusações formais, ela foi acusada de espionagem e condenada a mais 5 anos de prisão – algo considerado “absurdo” por diversos países, instituições e órgãos oficiais ao redor do mundo.

Ao total, foram mais de sete veredictos, que somados deram 38 anos de cadeia. Somente no presídio a advogada soube do seu aumento de pena de mais 5 anos, e não estava presente no tribunal, de acordo com seu marido.

Não somente os anos de prisão foram suficientes para a justiça do Irã, mas ela deverá passar por 148 chibatadas por ter tido coragem de aparecer no tribunal sem o lenço na cabeça – em árabe chamado de forma genérica de hijab, especialmente aqui no ocidente, pois no oriente existem diversas denominações, tipos e formatos – cobrindo os cabelos e pescoço, deixando somente o rosto à mostra. O tribunal considerou isso uma ofensa e uma afronta contra leis específicas do país de vestimenta feminina.

Abaixo você confere uma imagem do jornal El País fazendo uma referência a todos os tipos de véus islâmicos que as mulheres devem usar; e sua obrigatoriedade e tipos mudam em cada país.

A Anistia Internacional considerou a sentença e condenação de Sotoudeh “grande injustiça depois de dois julgamentos grosseiramente arbitrários”. Eles pedem a libertação imediata e incondicional da advogada – embora a possibilidade de ocorrer libertação ou diminuição da pena seja praticamente nula.

Sotoudeh dedicou toda sua vida em defesa dos direitos das mulheres e lutou contra a pena de morte. De acordo com vários jornais internacionais, é ultrajante os tribunais iranianos estarem punindo o trabalho de uma advogada que apenas está exercendo seu direito de lutar contra o que considera cruel com as mulheres e com os direitos humanos.
Javaid Rehman, principal especialista de direitos humanos da ONU no Irã, também se manifestou sobre o assunto, e comentou o caso em declaração à imprensa em Genebra, na Suíça, de acordo com o jornal britânico Metro.



ADVOGADA É SENTENCIADA A 38 ANOS E 148 CHIBATADAS POR DEFENDER DIREITO DE MULHERES NÃO USAREM LENÇOS NA CABEÇA ADVOGADA É SENTENCIADA A 38 ANOS E 148 CHIBATADAS POR DEFENDER DIREITO DE MULHERES NÃO USAREM LENÇOS NA CABEÇA Reviewed by CM on sexta-feira, março 15, 2019 Rating: 5

Postagem em destaque

ACABE COM A INADIMPLÊNCIA DA SUA EMPRESA