REFRIGERANTE AUMENTA EM ATÉ 31% AS CHANCES DE MORTE PREMATURA, DIZ NOVA PESQUISA

Um novo estudo da Escola de Saúde Pública de Harvard confirmou algo que as comunidades médica e nutricional já dizem há tempos: o consumo de refrigerante aumenta as chances de morte prematura – sobretudo por doenças cardíacas e alguns tipos de câncer.

A pesquisa, publicada ontem (18/3), é uma das mais amplas já publicadas sobre o assunto. Os cientistas acompanharam 37 mil homens e 80 mil mulheres durante um período de 34 anos (de 1980 a 2014) e foram informados pelos próprios participantes sobre seu consumo diário de refrigerantes – também foram considerados outros tipos de bebidas gaseificadas e não gaseificadas, mas cuja recorrência na dieta comum das pessoas é bem menor.

Eles documentaram, nesse período, mais de 20 mil mortes por problemas relacionados ao consumo de bebidas açucaradas, num universo de 36 mil óbitos por problemas diversos.

O risco é ainda maior se consideradas apenas as mortes por doenças cardíaca. Nesse caso, os fissurados por refrigerante (que tomam dois ou mais copos diariamente) têm 31% mais chances de morrer prematuramente por uma falha no coração. Em média, cada copo de refrigerante consumido diariamente representa um risco 10% maior, dizem os pesquisadores.

Em um patamar menor, também foi identificada uma relação entre o consumo de refrigerantes com açúcar e a ocorrência de dois tipos específicos de câncer: de mama e colorretal.

Embora a pesquisa se baseie em depoimentos dos próprios participantes – o que pode acarretar em imprecisões ou dados falsos –, os responsáveis pela nova pesquisa estão seguros da sua confiabilidade como referência para questões de saúde envolvendo os refrigerantes. “Não é aleatório. Há uma grande consistência nas informações que encontramos”, diz um dos autores, Vasanti Malik.

Refrigerante diet ajuda, mas não resolve

A pesquisa também avaliou o consumo de refrigerantes adoçados artificialmente – os famosos refris diet. A situação melhora um pouco: trocar um copo de refrigerante comum por um com adoçante diminui em 4% o risco de morte prematura de forma geral, e de 5% o de morte relacionada a problemas cardíacos.

Isso não quer dizer que eles sejam benéficos à saúde ou não tragam nenhum tipo de problema. O consumo de quatro ou mais copos de refrigerantes diet aumenta, particularmente entre as mulheres, o risco de morte prematura, em especial por problemas cardíacos, segundo os autores.

Segundo o professor de epidemiologia e nutrição de Harvard, Walter Willett, os resultados são consistentes com os já obtidos anteriormente em relação aos malefícios do açúcar, como a relação dele com o desenvolvimento de diabetes tipo 2 – outra causa comum de morte prematura. Para ele, tantas evidências já conhecidas deveriam servir para embasar políticas públicas que coíbam o consumo excessivo de açúcar.

“Os resultados dão suporte a políticas como a limitação do marketing de bebidas doces para crianças e adolescentes e a implementação de impostos para esses produtos, uma vez que o preço cobrado atualmente não considera os custos do tratamento de suas consequências para a saúde”, afirma.

Os refrigerantes são hoje a maior fonte de adição de açúcar na dieta diária dos americanos. No Brasil, o consumo da bebida é grande, mas está em queda. A Euromonitor projeta que, em 2022, o consumo no país será 22% menor em relação a 2012.

Barreiras Notícias  /  Época Negócios
REFRIGERANTE AUMENTA EM ATÉ 31% AS CHANCES DE MORTE PREMATURA, DIZ NOVA PESQUISA REFRIGERANTE AUMENTA EM ATÉ 31% AS CHANCES DE MORTE PREMATURA, DIZ NOVA PESQUISA Reviewed by Oeste Politica on quarta-feira, março 20, 2019 Rating: 5

Postagem em destaque

ACABE COM A INADIMPLÊNCIA DA SUA EMPRESA