Centrão discute reforma que não reeleja Bolsonaro, diz Paulinho da Força

Líder da Força Sindical e deputado federal, Paulinho da Força (SD-SP) afirmou nesta quarta-feira, 1º, que os partidos que se reúnem no chamado “Centrão” discutem o apoio a uma reforma da Previdência que não “garanta” a reeleição do presidente Jair Bolsonaro em 2022.

A lógica de Paulinho é a de que a proposta do governo deve ser desidratada, isto é, gastos sejam mantidos e não retirados, para que a economia seja menor e o presidente não tenha tanto dinheiro excedente para investir. Assim, a disputa eleitoral não seria desequilibrada a favor de Bolsonaro. O texto da equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, previa inicialmente uma economia 1,1 trilhão de reais em dez anos. Jair Bolsonaro já declarou que o valor mínimo deve ser de 800 bilhões de reais.

“R$ 800 bilhões garantem, de cara, e reeleição dele. Se dermos 800 [bilhões de reais] como disse ele, significa que nos últimos três anos dele [Bolsonaro, na Presidência], há 240 bilhões ao ano para gastar. Eu acho que temos de ter [economia] em torno de 500 bilhões. 600 bilhões seria o limite para essa reforma”, defendeu o deputado, durante evento das centrais sindicais para o Dia do Trabalho, em São Paulo.

Segundo Paulinho da Força, uma reforma desidratada garante a chance de outros partidos disputarem o Palácio do Planalto em 2022. “Com esse discurso, tenho certeza que a gente traz todo mundo do Centrão, porque ninguém quer a reeleição de Bolsonaro”, afirmou o deputado.

Depois, Paulinho contemporizou o tom de sua fala e declarou que os opositores da reforma, entre os quais ele está incluído, não têm força para barrar a proposta, mas que o texto aprovado será mais “justo” que o do governo e “o trabalhador sairá ganhando”. “Se não temos força para parar a reforma, eu acho que as ruas nos darão força de negociação para fazer uma reforma justa, na qual o trabalhador sairá ganhando. É possível passar uma reforma da Previdência, mas que mantenha os direitos e combata os privilégios”, emendou.

As declarações de Paulinho da Força sobre a economia da reforma da Previdência e as eleições de 2022 foram criticadas pelo secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho. “Esse é o momento de todos pensarem no Brasil e nas próximas gerações e menos nas próximas eleições”, escreveu Marinho em sua conta no Twitter. (Estadão Conteúdo)
Centrão discute reforma que não reeleja Bolsonaro, diz Paulinho da Força Centrão discute reforma que não reeleja Bolsonaro, diz Paulinho da Força Reviewed by CM on quarta-feira, maio 01, 2019 Rating: 5