MP diz que pelo menos 14 cidades baianas não checam presença de agrotóxico na água

Quatorze municípios baianos não fazem monitoramento da presença de agrotóxicos na água conforme o exigido por lei. A conclusão é do Núcleo de Defesa da Bacia do São Francisco (Nusf) do Ministério Público do Estado (MP-BA).
Os dados foram informados durante o Fórum Baiano de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos.  Ainda segundo o MP-BA, oito, dos 10 agrotóxicos mais usados na região do São Francisco, não passam pelo monitoramento da Embasa [Empresa Baiana de Águas e Saneamento].

O motivo: os produtos não constam na portaria do Ministério da Saúde, que lista os princípios ativos a serem fiscalizados. Segundo a coordenadora do fórum, a promotora de Justiça Luciana Khoury, o risco de presença de agrotóxico na água consumida na Bahia é muito grande. “Uma alternativa é fomentar uma agricultura mais limpa, livre de veneno, reduzindo o uso desses produtos químicos”, disse. A promotora apontou ainda para a “falta de rigor” para checar a presença dos agrotóxicos no país.

“Um exemplo é o glifosfato, que no Brasil é aceito em uma proporção 500 vezes superior à permitida na maioria dos outros países”, afirmou.
MP diz que pelo menos 14 cidades baianas não checam presença de agrotóxico na água MP diz que pelo menos 14 cidades baianas não checam presença de agrotóxico na água Reviewed by Oeste Politica on terça-feira, julho 09, 2019 Rating: 5