LEM
Câmara aprova lei que propõe duas pausas no trabalho para alimentar o bebê - Blog Barreiras Noticias | Região Oeste - Bahia

Câmara aprova lei que propõe duas pausas no trabalho para alimentar o bebê

Na última segunda-feira (20), a Agência Senado divulgou novidades que podem ser bastante animadoras para as mães – principalmente as que não dispõem de leite materno. Isso porque o Projeto de Lei PLC 21/2018 foi aprovado na Câmara dos Deputados e agora segue para votação no Plenário.


A proposta prevê dois intervalos na jornada de trabalho, de meia hora cada um, para as mulheres amamentarem ou alimentarem seus filhos, até que eles completem seis meses de idade. O direito à amamentação já está previsto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), mas a emenda amplia o direito para incluir também as mães de crianças adotivas ou aquelas que não podem amamentar.

A iniciativa é do deputado federal Hugo Leal (PSC/RJ) e começou a tramitar na Justiça em maio de 2018. De acordo com a senadora Eliziane Gama, relatora na Comissão de Assuntos Sociais, a lei brasileira será um grande avanço no sentido de concretizar o postulado da proteção integral da criança e do adolescente. 

“O afastamento da mãe para nutrir o bebê com leite materno ou outras fontes de nutrientes garante a ele melhores condições para o seu desenvolvimento saudável e colabora para a humanização das relações entre capital e trabalho no Brasil”, afirmou ela.

A medida segue o exemplo de outras que já vigoram no exterior, inclusive em países europeus. Portugal, por exemplo, concede dois intervalos de até uma hora à mãe ou ao pai para alimentar o filho. 

Barreiras Notícias / Bebê Abril
Câmara aprova lei que propõe duas pausas no trabalho para alimentar o bebê Câmara aprova lei que propõe duas pausas no trabalho para alimentar o bebê Reviewed by Jbarreiras on 00:32 Rating: 5

Sem comentários

Postagem em destaque

Eleições de 2020 terão novas regras; veja o que muda

Em outubro deste ano, mais de 153 milhões de eleitores devem ir às urnas para eleger prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. A quase 10 m...