LEM
Igreja Presbiteriana diz que não é “apolítica”, mas reprova uso de templo para apoio a partidos - Blog Barreiras Noticias | Região Oeste - Bahia

Igreja Presbiteriana diz que não é “apolítica”, mas reprova uso de templo para apoio a partidos

A Igreja Presbiteriana do Brasil divulgou nota oficial diante da polêmica envolvendo a mobilização feita pelo pastor Emerson Patriota, que encorajou fiéis a assinarem a lista de apoio à criação do partido Aliança pelo Brasil. A denominação destacou que não é uma instituição “apolítica”, mas não manifesta apoio a partidos.

A polêmica ocupou a grande mídia pelo fato de o pastor Emerson Patriota, líder da Igreja Presbiteriana Central de Londrina (PR), pedir que os fiéis assinassem a lista de apoiamento à criação do partido idealizado pelo presidente Jair Bolsonaro. O deputado federal Filipe Barros é membro da congregação e aliado do governo no Congresso.

“Nós estamos desafiando você, todos, a passarem lá, conhecerem o estatuto, os valores […] Na verdade, eu estava conversando com algumas pessoas e disseram que é mais difícil entrar nesse partido do que em algumas igrejas por aí. Tem que ter mais vida idônea do que algumas igrejas exigem. Isso é muito bom porque tem valores familiares”, comentou o pastor na ocasião.

Diante da repercussão, a Igreja Presbiteriana publicou nota em que pontua que a denominação “não é apolítica e faz parte da construção de uma sociedade digna a todo cidadão brasileiro”, e frisou que tem “compromisso histórico e ideológico com a democracia, entendida como a participação direta do povo nos seus destinos através do voto”.

Assim como outros líderes evangélicos já se manifestaram, a Igreja Presbiteriana se declarou “apartidária” e que seu compromisso nessa área jamais ceder “templos ou locais de culto a Deus para debates ou apresentações de cunho político”.

Confira a nota na íntegra:

Por conta de recentes acontecimentos e questionamentos, esclarecemos mais uma vez publicamente que a Igreja Presbiteriana do Brasil não é apolítica e faz parte da construção de uma sociedade digna a todo cidadão brasileiro, consciente da sua herança judaico-cristã-reformada, tem um compromisso histórico e ideológico com a democracia, entendida como a participação direta do povo nos seus destinos através do voto, de apoia-la e contribuir positivamente para o seu desenvolvimento no Brasil e no Mundo. Tem também um compromisso, fundamentado no amor ao próximo, (Lv.19.18) com a justiça social, com o bem estar do povo, com a eliminação da miséria e da pobreza, (Dt.15.4) com a igualdade dos homens em todos os lugares, níveis, situações, independentemente de sexo, idade, ou condição social individual. (Dt.16). Além do compromisso com o desenvolvimento e a manutenção da paz entre os homens, a promoção da harmonia e da concórdia, tanto no seio da Igreja, como da comunidade nacional. (Mt.5.9).

Todavia a IPB é apartidária e em nenhum momento apresentou ou apresenta apoio a qualquer partido político. Em resolução de sua reunião ordinária em 1990, o Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil orienta seus concílios em geral que evitem apoio ostensivo a partidos políticos e que as igrejas não cedam seus templos ou locais de culto a Deus para debates ou apresentações de cunho político. Lembramos ainda que a opinião pessoal de membros ou pastores da IPB sobre questões político-partidárias não refletem a opinião oficial da instituição sobre o assunto.

APECOM – Agência Presbiteriana de Evangelização e Comunicação
Igreja Presbiteriana diz que não é “apolítica”, mas reprova uso de templo para apoio a partidos Igreja Presbiteriana diz que não é “apolítica”, mas reprova uso de templo para apoio a partidos Reviewed by CM on 01:56 Rating: 5

Sem comentários

Postagem em destaque

PRIME TELECOM | FIBRA ÓPTICA EM BARREIRAS