O presidente Jair Bolsonaro decidiu, nesta segunda-feira, 14, efetivar o general Eduardo Pazuello como ministro da Saúde. Ele ocupava o cargo interinamente desde a saída de Nelson Teich, em maio deste ano. A assessoria da presidência confirmou que a cerimônia de posse está marcada para esta semana, mas não soube precisar o dia e horário. O Brasil teve três ministros da saúde em 2020 durante a pandemia da Covid-19. 

As trocas começaram após a demissão de Luiz Henrique Mandetta, no dia 16 de abril. No início de julho, Bolsonaro chegou a dizer que Pazuello havia dado uma “excelente contribuição” como interino, mas que não permaneceria no cargo. Sob comando do general, o ministério abandonou a defesa do distanciamento social mais rígido e passou a recomendar tratamentos alternativos para a Covid-19, como o uso da hidroxicloroquina. 

Inicialmente, o general ocupou o cargo de secretário-executivo do Ministério da Saúde na gestão de Teich. Neste período, no entanto, ele já era apontado por secretários locais como o verdadeiro ministro. Com o pedido de demissão de Teich, Pazuello assumiu interinamente o cargo, onde permanecia até o momento.



Barreiras Notícias  /  Jovem Pan