Record é condenada por acusar inocente de estuprar e matar enteada de 2 anos

 

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou a Record TV e o apresentador Luiz Bacci a indenizarem um rapaz acusado de estuprar e matar a enteada de apenas 2 anos.

A reportagem foi exibida em 19 de abril de 2018 no Cidade Alerta com a manchete “Criança é violentada e morta pelo padrasto”, além de fotos do padrasto. De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o valor da indenização é de R$ 50 mil.

Na decisão, a Justiça entendeu que a Record se “excedeu no direito de informar”. A defesa apresentada pela emissora não foi aceita pelo Tribunal. Bacci chegou a chamar o padrasto de “monstro” e “cruel” no ar, acreditando que ele seria o autor do crime.

O laudo necroscópico da criança mostrou que ela morreu em decorrência de uma grave infecção pulmonar, e os hematomas encontrados no corpo da bebê no dia de sua internação teriam sido causados pela queda durante uma convulsão.

O padrasto que levou a emissora à Justiça afirma que depois da matéria, nunca mais conseguiu ter uma vida normal e perdeu o emprego, além de sofrer uma série de agressões físicas. A emissora ainda pode recorrer.

Record é condenada por acusar inocente de estuprar e matar enteada de 2 anos Record é condenada por acusar inocente de estuprar e matar enteada de 2 anos Reviewed by CM on 12:28 Rating: 5

Sem comentários

Postagem em destaque

PRIME TELECOM | FIBRA ÓPTICA EM BARREIRAS