html image example
Preconceito com exame de toque atrapalha diagnóstico precoce do câncer de próstata ~ Blog Barreiras Noticias | Oeste Baiano no Geral
 
Em 2020 são esperados quase 70 mil novos casos da doença no Brasil

Por ter pedido o pai em decorrência de um linfoma, Adelson Conceição, 53 anos, sempre cuidou da saúde. Praticante regular do “baba” e da academia, o rodoviário foi surpreendido pelo diagnóstico de câncer na próstata - glândula do sistema reprodutor masculino, cuja principal função é produzir o esperma - após um exame de rotina. “Foi impactante, toda aquela saga que vivemos com meu pai passou pela minha cabeça. Mas os médicos me tranquilizaram pois o câncer foi diagnosticado ainda no princípio”, afirma.  

Como o estágio da doença era inicial, o leque de opções de tratamento foi amplo, porém Adelson preferiu não correr riscos e optou pela cirurgia radical, procedimento que remove a próstata enquanto o câncer ainda está confinado na região. “Descobri que através dessa cirurgia eu nunca voltaria a ter a doença. No caso de outros tratamentos existia a possibilidade de o câncer voltar, daí não pensei duas vezes”, explica Adelson.  

Ele relata que já perdeu um colega de trabalho para a doença e não quis arriscar. “Vemos muitas pessoas perderem a vida por conta do preconceito com o exame de toque, outras pelo medo do tratamento. Desde o início, tive todo o apoio da minha família e pensei neles a cada decisão que tomei. É importante reconhecer as razões para lutar”, completa.  

Novembro Azul 
No mês de novembro, campanhas promovidas por entidades públicas e privadas buscam alertar a sociedade civil da importância de prevenir e combater o câncer de próstata. Um dos principais obstáculos é exatamente o preconceito como o exame de toque, forma mais efetiva de identificar anormalidades na próstata. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), diariamente, 42 homens morrem da doença e aproximadamente 3 milhões convivem com ela.  

O diretor nacional de Oncologia do Sistema Hapvida, o médico Alexandre Gomes, aponta que, só este ano, são esperados quase 70 mil novos diagnósticos de câncer de próstata no Brasil, e a tendência é que esse número venha a crescer nos próximos anos em decorrência do envelhecimento da população.