html image example
O QUE SERÁ DE BARREIRAS NO FUTURO ? ~ Blog Barreiras Noticias | Oeste Baiano no Geral

 

 Tenho sido procurado por um grupo de amigos, uns políticos, outros neutros e os demais simplesmente curiosos e desinteressados, todos ansiosos por uma opinião sobre o que será de Barreiras no próximo decênio.

A priori, todos sabem do potencial do nosso município, suas riquezas, seu comércio pujante, sua infraestrutura para receber financiamentos privados, sua estrutura de ensino, sua estratégica localização, sua liderança inconteste neste chão baiano, a capacidade do nosso povo, a mão de obra disponível, e a frustação de ainda não termos instalado nosso parque industrial, algo ainda esquecido tanto pela administração atual, como pelas as anteriores.

Bom frisar, preliminarmente, que o interesse pelo assunto tem, antes de tudo, a ver com os altos empréstimos contraídos na atual gestão e os seus impactos na vida financeira barreirense, se levarmos em conta o alto custo de tais aportes, para muitos incrivelmente onerosos. Provavelmente isto poderá causar, no futuro, alguns dissabores aos gestores de então.

Especula-se, então, como a municipalidade criará condições para honrar os empréstimos contratados com a Caixa Econômica Federal, a juros de mercado (sempre bem salgados) vez que, a priori, consideramos que não houve um plano logístico para adequá-los ao nosso sistema de amortização daqueles aportes e, ainda, que possivelmente ainda outros acontecerão, tal a volúpia de gastos da nossa administração.

É evidente que a todos nós – população – interessa vermos a concretização de obras que impulsionem o nosso progresso, isto é o lado bom da coisa. Entretanto, para que tudo saia a contento, mister se faz que haja para cada empreendimento um rígido planejamento, não só do custo em si, mas das disponibilidades financeiras para concretizá-lo.  

Muitos até poderão afirmar que somos contra as obras em execução e as que estão sendo programadas. Ledo engano, pois somos favoráveis a todos os empreendimentos que impactem nosso progresso. Entretanto, sou daqueles que acreditam em  assertivas como a do ex-presidente americano Abraão Lincoln, que por volta do ano de 1.860 garantiu que “ninguém prospera à custa de dinheiro emprestado”.

É possível que nosso pensamento seja contestado pelos que fazem o governo atual, mas garantimos que pensamos exclusivamente em nosso município, que deverá continuar progredindo, é verdade, mas sempre dentro dos ditames da razoabilidade. Necessitamos erradicar os excessos, para que possamos admitir a necessidade de termos uma gestão capaz de impactar nosso progresso, sem os exageros e a demagogia de então. Vamos botar o pé no freio, gente!

Itapuan Cunha
Comentarista da Política