Vítima de complicações de saúde, pós cirurgia bariátrica, que evoluiu para uma trombose, faleceu no sábado (13), após sofrer uma parada cardiorrespiratória, na cidade de Vitória da Conquista, onde residia e exercia a profissão de advogado, o jovem jequieense Leonardo Cidreira Farias, 48 anos, casado, pai de dois filhos menores.

Léo Cidreira, era filho da enfermeira Sonia Maria Cidreira Farias e do médico Argemiro Farias, ex-diretor do Hospital Geral Prado Valadares, que morreu vítima de homicídio na década de 1980. 

Antes de concluir o curso de Bacharel em Direito, Léo Cidreira, trabalhou como representante de produtos farmacêuticos, concluiu o bacharelado em Ciências Contábeis, pela Faculdade de Ciências Contábeis de Jequié-FCCJ e trabalhou como estagiário no escritório local do SEBRAE. Era neto do jornalista e radialista Adauto Cidreira, que durante muitos anos dirigiu a extinta Rádio Baiana de Jequié. //JequieReporter