Chamado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de “grande mentiroso”, o senador e ex-presidente Fernando Collor (PROS-AL) tem ganhado cada vez mais espaço no Palácio do Planalto, seja acompanhando Bolsonaro em viagens, seja em aparições em eventos do governo.

Collor esteve presente em duas viagens recentes de Bolsonaro ao Nordeste. Na primeira delas, durante uma inauguração de obras em Piranhas (AL), em novembro. Ao contrário das críticas que costumava fazer, o presidente afirmou no primeiro turno das eleições municipais que Collor era “um homem que luta pelo interesse do Brasil”.

O senador alagoano também participou há dez dias de uma reunião do chefe do Executivo com a equipe econômica para discutir o impacto do novo reajuste dos preços dos combustíveis. O próprio Bolsonaro aproveitou um evento para relatar que Collor havia aparecido no Palácio do Planalto e então acabou convidado para a reunião, dando “sugestões bem-vindas e acolhidas por nós”.

De acordo com a Folha de S.Paulo, políticos no Congresso Nacional apontam que a aproximação de Collor com o Planalto deu-se pelas mãos do novo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Lira ganhou influência com a aproximação do governo com o bloco centrão —que agora dá sustentação ao governo. Ironicamente, Collor havia criticado a estratégia do governo de se aproximar do bloco em busca de apoio.