O assassinato da empresária Gilvanete de Souza Nogueira, ocorrido no mês passado, chocou a população de Vitória da Conquista.


Em entrevista concedida a imprensa, a delegada da Delegacia de Atendimento a Mulher, Gabriela Garrido, destacou fatos novos sobre o caso.

Ela destacou como a empresária era querida por todos, principalmente com os lojistas da Galeria Joaquim Correia, onde a vítima tinha uma loja.

Segundo a delegada, Gilvanete morreu estrangulada e lutou para viver. “Existem fatos, até pelo estado como o autor do crime estava, que houve uma luta corporal, ela lutou para viver”, disse a delegada que ainda acrescentou a frieza do acusado, que está preso.

“Ele é muito frio, não colaborou com as investigações, o inquérito concluiu que a causa do crime brutal foi realmente a dívida de R$15 mil que ele tinha com ela”, finaliza.