html image example
Organizações que defendem casamento cristão são rotuladas como “grupos de ódio” ~ Blog Barreiras Noticias | Oeste Baiano no Geral
A perseguição aos valores judaico-cristãos avança no mundo inteiro através de narrativas ideológicas. Uma delas, por exemplo, é o discurso contra os chamados “grupos de ódio”, uma classificação que agora está sendo usada contra organizações que defendem o casamento heterossexual.


Essa classificação foi usada pela ONG Southern Poverty Law Center (SPLC), dos Estados Unidos, contra as organizações Alliance Defending Freedom, C-FAM, Family Research Council e Ruth Institute, também norte-americanas.

As três entidades vítimas a narrativa são conservadoras e defendem valores como o casamento tradicional apenas entre homem e mulher, conforme ensinado pelo cristianismo, a proteção da vida desde a concepção, a liberdade de expressão e religiosa, entre outros.

Termos como “anti-LGBTQ”, “extremistas” e “grupos de ódio” têm sido utilizados para depreciar e tentar criminalizar o pensamento de pessoas e grupos que defendem os valores cristãos fundamentados na Bíblia Sagrada.

Esses termos foram utilizados pela SPLC em um relatório sobre o ano de 2020 com o título “Ano do ódio e do extremismo”. O presidente da Alliance Defending Freedom (ADF), Jeremy Tedesco, rebateu a rotulação que a sua entidade recebeu da ONG progressista.

“A SPLC já foi uma organização de direitos civis respeitada, mas destruiu a sua credibilidade por causa da agenda partidária descarada e do seu plano desacreditado de arrecadação de fundos. Tornou-se um grupo que ataca e espalha mentiras sobre organizações e indivíduos que discordem da sua agenda de extrema esquerda”, disse ele, segundo a Aleteia.

Já para William Boykin, vice-presidente executivo do Family Research Council, esse tipo de ataque de narrativas reflete justamente a intolerância de quem não suporta lidar com pensamentos divergentes, e agora busca criminalizar o contraditório através de pautas políticas.

“A organização Southern Poverty Law Center é uma máquina de difamação política que pouco respeita a liberdade de pensamento e de expressão”, disse ele. “No âmbito político, existe uma consciência daquilo em que a SPLC se transformou: uma organização completamente desonrada, que tenta silenciar os seus oponentes políticos com calúnias e acusações”.

Gospel + / por Will R. Filho