html image example
Agricultor assassinado em Barreiras denunciou tentativa de invasão por investigado na Faroeste ~ Blog Barreiras Noticias | Oeste Baiano no Geral

A execução do agricultor Paulo Antonio Ribas Grendene, 62 anos, na noite da última sexta-feira em Barreiras reacendeu o clima de violência no Oeste baiano envolvendo disputas de terras. 

Em setembro do ano passado, ele denunciou que foi ameaçado de expulsão de duas fazendas de sua propriedade, em Formosa do Rio Preto, por um grupo armado. O bando estaria a serviço de um empresário que, segundo a vítima, seria um dos alvos da Operação Faroeste.

A operação apura a atuação de uma suposta organização criminosa composta por advogados e servidores do TJBA que fariam a intermediação na venda de decisões judiciais por desembargadores e juízes para favorecer a grilagem de terras no Oeste da Bahia. Seis investigados na operação continuam presos preventivamente.

O coordenador da 11ª Coorpin (Barreiras), delegado Rivaldo Luz, disse ao Metro1 que a vítima estava envolvida em uma disputa de terra. “Ele denunciou uma grilagem de terra em uma fazenda dele em Formosa do Rio Preto. Mas a motivação e autoria ainda estão sendo investigadas. Estamos analisando imagens de câmeras e ouvindo testemunhas”, explicou o delegado.

O crime – Grende estava no bairro Bandeirantes dentro de seu veículo, um Renault Sandero branco, quando dois indivíduos encapuzados em outro carro se aproximaram e efetuaram vários disparos.

A Associação dos Produtores Rurais da Chapada das Mangabeiras (Aprochama) emitiu nota denunciando “o grave clima de violência instaurado na região Oeste da Bahia” em decorrência do assassinato de Grendene. “A Aprochama vem alertando constantemente as autoridades sobre a crescente tensão na região. Agricultores, que ajudaram a transformar o Oeste em uma das áreas mais prósperas do país, são constantemente ameaçados por bandos armados a abandonar suas terras”, diz trecho da nota.

A Aprochama informou que, na próxima semana, o assassinato de Paulo Antônio Ribas Grendene será levado ao conhecimento do ministro Og Fernandes, relator no Superior Tribunal de Justiça da ação criminal relativa à Operação Faroeste. (Metro1)