html image example
PROFISSIONAIS DE IMPRENSA DA BAHIA COBRAM VACINAS PARA TODOS ~ Blog Barreiras Noticias | Oeste Baiano no Geral

A primeira dose para o pessoal com mais de 40 anos já foi aplicada em Barreiras e outros municípios baianos.


A inclusão de todos profissionais da imprensa que estão atuando fora do domicílio entre os grupos prioritários para vacinação contra a Covid-19 é o foco do Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Bahia (Sinjorba) junto à Comissão Intergestores Bipartite (CIB), órgão composto por representantes do estado e dos municípios.

Em Barreiras a imunização contra a doença começou no sábado (12) alcançando o pessoal da comunicação acima de 40 anos, de acordo com as resoluções reafirmadas desde o dia 18 de maio pela CIB. As demais faixas etárias aguardam nova decisão do órgão para serem vacinados.

A perspectiva de receber a primeira dose da vacina Oxford-Astrazeneca atraiu profissionais com atuação em diversos órgãos de imprensa local ao drive-thru estruturado no parque de Exposições Engenheiro Geraldo Rocha, durante todo o dia. Ainda não foi anunciada nova data para a categoria no município.

Luís Eduardo Magalhães e São Desidério são algumas das cidades do Oeste que ainda não iniciaram o processo, preocupando os profissionais que atuam nestas localidades.

A luta pela inclusão da categoria entre os grupos prioritários de vacinação é encabeçada na Bahia pelo Sinjorba, que obteve em maio com a resolução da CIB a primeira vitória neste sentido entre os estados brasileiros, atingindo por enquanto os maiores de 40.

Com a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) o sindicato também protocolou na Justiça Federal uma Ação Civil Pública, pedindo Tutela de Urgência Antecipada, para que todos profissionais do país que atuam em reportagens de rua, estúdios ou redações sejam incluídos entre os grupos prioritários.

Segundo o presidente do Sinjorba, Moacy Neves, a Ação visa uma correção imediata do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19.

PRIORIDADE - Ele argumentou que a luta da categoria está amparada no Decreto Federal10.288 de 22/05/2021, que aponta a imprensa como essencial para atuar na pandemia, destacando que quem é essencial para trabalhar também deve ser prioritário no processo de vacinação.

Neves lembrou que para manter a população informada, não só sobre a evolução da doença e do avanço das pesquisas para seu combate, mas sobre tudo que se passou neste período, estes profissionais não pararam nenhum dia, muitas vezes se expondo ao contágio e levando à morte.

Conforme levantamento divulgado pela Fenaj, em média um comunicador perdeu a vida por dia para a Covid-19 no primeiro quadrimestre de 2021 no Brasil, deixando o país entre os que mais registraram óbitos entre a imprensa no mundo.