html image example
Um dos presos em operação da PF e MPF que investiga contrabando de cigarros na Bahia é PM e fazia escolta da carga ilegal ~ Blog Barreiras Noticias | Oeste Baiano no Geral

Um dos presos na operação da Polícia Federal e Ministério Público Federal (MPF) que investiga o contrabando de cigarros paraguaios na Bahia, deflagrada na manhã desta terça-feira (17), é um policial militar. Os mandados da operação foram expedidos para as cidades de Guanambi, sudoeste baiano, e Luís Eduardo Magalhães, no oeste.

De acordo com a o delegado Flávio Albergaria, responsável pelas investigações, o PM é lotado na cidade de Guanambi e atuava como uma espécie de agente responsável por fazer a escolta da carga ilícita e garantir que ela chegasse ao destino.

Thank you for watching

Além dele, outras três ordens de prisão foram cumpridas e um quinto suspeito, em Luís Eduardo Magalhães, não foi localizado.

O delegado acrescentou que o policial já havia sido autuado em outra ocorrência do mesmo tipo, mas acabou não sendo denunciado. Desta vez, o mandado de prisão foi cumprido e ele permanece custodiado em Vitória da Conquista.

“Ele tinha função de batedor de carga. Ele fazia o acompanhamento da carga para garantir que ela chegasse ao destino. Já tinha sito autuado em outra circunstância e acabou não sendo denunciado. O policial [assim como os outros três presos] irão passar por audiência de custódia na Polícia Federal e acreditamos que as prisões sejam mantidas”, afirmou Albergaria.

O comandante do 17º Batalhão da PM, em Guanambi, coronel Arthur Mascarenhas, informou que o policial será encaminhado ao Batalhão de Choque em Salvador, e irá responder a um processo interno.

Delegado Flávio Albergaria, chefe da Polícia Federal de Vitória da Conquista

“Ele será conduzido agora à tarde pelo comando de policiamento ao Batalhão de Choque, em Salvador, onde vai cumprir a medida cautelar. Administrativamente, ele vai responder a um Processo Administrativo Disciplinar e, comprovada a participação, deverá sofrerá as sanções do nosso estatuto com extremo rigor”, disse.

Segundo as investigações, o grupo atua há cerca de 10 anos na região sudoeste do estado e já chegou a movimentar mais de R$ 160 milhões nas contas dos responsáveis pelas cargas ilegais. Além das prisões, 19 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Guanambi, Luís Eduardo Magalhães e Palmas de Monte Alto.

A Polícia Federal também apreendeu armas e cerca de R$ 20 mil na ação no cumprimento dos mandados. Todos os presos estão detidos na sede da PF em Vitória da Conquista e deverão passar por audiência de custódia ainda nesta terça-feira.

 Fonte:G1/BA