O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) caçou, nesta quinta-feira (28), o mandato do deputado estadual do Paraná, Fernando Francischini (PSL). O parlamentar é acusado de propagar informações falsas sobre a urna eletrônica e o sistema de votação durante as eleições de 2018.

Essa foi a primeira vez que a corte tomou decisão relacionada a político que fez ataque ao sistema eleitoral brasileiro. O tribunal considerou que a conduta de propagar desinformação pode configurar uso indevido dos meios de comunicação e abuso de poder político.

Pela decisão, além de perder o mandato, o político fica inelegível por oito anos. O TSE determinou que os votos obtidos por ele na eleição sejam anulados e uma nova totalização seja feita pelo TRE-PR.

Conhecido como Delegado Francischini, o deputado cassado disse que irá recorrer ao STF  e afirmou que voltará aos quadros da Polícia Federal, mas que não desistirá de reaver seu mandato.

“Dia triste, mas histórico na luta pelas liberdades individuais. Sempre fui um deputado combativo e com honestidade de propósitos. Lutei contra a corrupção para retomarmos o nosso país. Eu lamento demais essa decisão que afeta mandatos conquistados pela vontade do eleitor”, disse.