Após uma série de publicações retiradas do YouTube, o presidente Jair Bolsonaro já soma 33 vídeos removidos da plataforma devido à disseminação de informações falsas sobre a pandemia da Covid-19. A informação foi divulgada pelo site Metropoles.

Ao todo, o mandatário da República já teve 34 gravações vetadas — apenas uma delas não foi por propagação de teor inverídico. Todas as exclusões são deste ano, não havendo punições ao chefe do Executivo federal registradas em outros períodos.

O levantamento de conteúdos deletados foi realizado pelo cientista de dados da empresa de análise Novelo, Guilherme Felitti, que vem mapeando as exclusões feitas em canais de extrema direita no país e contabilizando os casos em um banco de informações.

Segundo o especialista, a publicação do material na plataforma, mesmo com risco de retirada do ar, tem uma função: a de alimentar aliados do presidente.

“É como um repositório, onde o que está ali se torna facilmente um conteúdo viral, que pode ser disseminado em outras redes sociais”, explicou à reportagem.