A Coelba divulgou uma nota para tentar esclarecer as informações divulgadas após a Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) aprovar a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os preços cobrados pela companhia aos baianos.

Segundo a empresa, o lucro líquido nos noves primeiros meses deste ano foi de R$ 1,2 bilhões e não de R$ 10 bilhões em quatro meses como informou o deputado Tum (PSC), autor do pedido de abertura da CPI.

A empresa também afirma estar realizando investimento para melhorar a prestação dos serviços. “Da mesma forma, ao contrário do que vem sendo veiculado, a Neoenergia Coelba ressalta que mantém contínuos investimentos na ampliação, modernização e automação do sistema elétrico baiano. Nos nove primeiros meses do ano, a empresa aplicou aproximadamente R$ 1,5 bilhão em ações e obras de infraestrutura com a finalidade de melhorar cada vez mais os serviços oferecidos em sua área de concessão”, diz trecho da nota.

Thank you for watching

O deputado Tum afirmou que há pouca transparência na composição dos preços cobrados aos baianos, além dos “prazos e custos nas solicitações de ligação, exigindo, sobretudo dos grandes consumidores, valores milionários para viabilizar o fornecimento de energia”.

A companhia também negou estar fazendo pressão para esvaziar a CPI. “A Neoenergia Coelba repudia qualquer insinuação de assédio, reforçando o compromisso com seus valores de honestidade e integridade. A empresa reafirma que, de forma legítima e transparente, em um debate construtivo, sempre envidará esforços junto a diversos setores da sociedade, no intuito exclusivo de melhorar os seus serviços e atender a expectativa dos clientes”, afirma a nota. (Metro1)