Uma pesquisa analisou os benefícios do consumo diário de doses de café e chá para o cérebro. A conclusão é de que quantidades específicas podem ajudar a diminuir o risco de demência e de derrame.

O estudo foi publicado na revista PLoS Medicine na última terça-feira (16). Pesquisadores da Universidade de Medicina de Tianjin, na China, analisaram dados de 365,6 mil pessoas cadastradas em um banco de dados de saúde e encontraram uma incidência menor das doenças citadas em pessoas saudáveis com idades entre 50 e 74 anos que consumiam de quatro a seis xícaras de café ou chá por dia.

Os participantes foram analisados por um período de 10 anos. Nesse tempo, 10.053 tiveram derrame e 5.079 desenvolveram demência. Os resultados mostram que pessoas que beberam de duas a três xícaras de café ou de três a cinco xícaras de chá por dia tiveram chances menores de desenvolverem a doença.

Café e doenças cerebrais

A redução nas chances de derrame foi de cerca de 32%. Já na de demência ficou em torno de 28%. Os cientistas reforçam, no entanto, que os pacientes analisados eram saudáveis e existem outros fatores de risco para essas condições.

“Embora seja possível que o consumo de café e chá possa proteger contra derrame, demência e demência pós-derrame, essa causalidade não pode ser inferida a partir das associações”, exploram os pesquisadores.

Outros estudos também já indicaram os benefícios do café. A Food And Drug Administration dos Estados Unidos (FDA), agência regulatória do país, recomenda a ingestão de 400 mg de cafeína por dia, o equivalente a entre quatro e cinco xícaras.


(Olhar Digital).