Jornalista Alexandre Garcia comentou em seu canal a cobertura da imprensa sobre a comemoração após aprovação do pastor André Mendonça para a vaga no Supremo Tribunal Federal, e denunciou o “preconceito religioso contra os evangélicos”. Um dos mais despudorados foi Diogo Mainardi ao classificar os fiéis como “gente bizarra”.

Um vídeo, em que a primeira-dama Michelle Bolsonaro aparece comemorando a vitória no Senado junto com a família de André Mendonça circulou nas redes sociais. Na imprensa, o momento foi tratado de maneira jocosa.

Thank you for watching

Nas redes sociais, o jornalista Diogo Mainardi se tornou um símbolo dessa má vontade contra os evangélicos ao comentar a notícia de que a primeira-dama deu glórias a Deus pela vitória de Mendonça: “Gente bizarra”.

Alexandre Garcia não deixou em branco: “Vocês notaram, claro. Eu também notei […] o preconceito religioso contra os evangélicos, expresso na mídia. É só a gente examinar o noticiário da escolha de André Mendonça que está lá o preconceito sempre presente”.

“Por que será? Toda hora estão falando contra preconceitos. Não pode falar. Cuidado com religião afro, por exemplo. Cuidado com o sujeito que tem excesso de peso. ‘Não, não pode, não pode’. Mas contra evangélico, pode. Por quê? É porque a ideologia, a paixão, é mais forte e passa por cima. Que vergonha”, acrescentou.

O veterano jornalista, conhecido por sua passagem na Globo e, mais recentemente, por sua demissão da CNN por expressar uma opinião sobre o combate à pandemia, encerrou dizendo que a mídia está permeada de um pensamento intolerante:

“Eu fico chocado com isso porque não é o ‘politicamente correto’. Não é isso. É tendência ideológica. O ‘politicamente correto’ que vale para uma coisa, não vale para outra. Vale só para aquilo que ‘nós aprovamos’. Ou seja: isso é totalitarismo”, constatou.