• Girl in a jacket
  • Ministério debaterá mudança de status de pandemia para endemia ~ Blog Barreiras Noticias | Oeste Baiano no Geral


    O Ministério da Saúde planeja mudar o status da pandemia de Covid-19 no Brasil para endemia, apesar dos altos números de casos e mortes nos últimos dois meses. A expectativa é que um posicionamento quanto ao tema seja definido nas próximas semanas, após o feriado de carnaval.

    A mudança do status da pandemia do coronavírus para endemia já começou a acontecer em alguns países europeus e o Reino Unidos anunciou o fim da maioria das medidas restritivas, como obrigatoriedade de apresentação de teste negativo de Covid-19 para entrada no país e a exigência do uso de máscaras de proteção facial em locais abertos.

    Thank you for watching

    No Brasil, o Ministério da Saúde propõe o debate sobre o tema e irá ouvir conselhos nacionais de secretários estaduais e municipais de saúde (Conass e Conasems). Além disso, o órgão contará com apoio da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

    “A gente está trabalhando sim. A gente vai juntar secretários, Conass, Conasems. A Opas está ajudando. Nas próximas três ou quatro semanas, a gente vai ter alguma coisa pra definir se já podemos ou não. [Será observada] até a própria pandemia, a própria queda de casos. Essa outra subvariante, a gente está observando”, explicou a secretária de Enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde, Rosana Leite de Melo ao portal Metrópoles.

    De acordo com a secretária, a medida deve acontecer no Brasil um tempo depois dos países europeus.

    Com a vacinação em massa, o Brasil viveu meses de tranquilidade em 2021, mas os casos voltaram a aumentar por causa da variante Ômicron. No entanto, o pico de casos foi rápido e uma nova queda é registrada em todo o país. A expectativa é que a doença passe a ser marcada por pequenos surtos, assim como acontece com os de Influenza.

    “A partir do momento em que há uma baixa circulação do vírus, ele vai se transformar, como o da influenza. Vai ter surtos em alguns lugares, em alguns lugares vou ter que tomar todas as medidas [preventivas]. Em alguns lugares, a circulação vai estar baixa, então posso tirar as medidas não farmacológicas. A gente vai ter que estar sempre alerta. Ainda vamos ficar um bom tempo, uns dois anos, no mínimo, sempre naquela questão da alerta. Desmobiliza, mobiliza de novo”, esclareceu.

    Publicação em destaque

    TELECOM PROVIDER - INTERNET CAMPEÃ