• Girl in a jacket
  • Carta pela democracia reúne quase 2 mil militares e mais de 8 mil policiais ~ Blog Barreiras Noticias | Oeste Baiano no Geral

    A carta em defesa da democracia que será lida nesta quinta-feira (11) na Faculdade de Direito da USP, em São Paulo, alcançou até mesmo policiais e militares, grupos que compõem a base do eleitorado do presidente Jair Bolsonaro (PL).

    Segundo levantamento feito por articuladores do documento e do site Estado de Direito Sempre!, que coleta as assinaturas, 8.281 policiais e 1.894 militares aderiram ao manifesto.

    A autenticidade das auto declarações tem sido conferida com dados disponibilizados pela Receita Federal. O mecanismo evita que fraudadores tumultuem a lista de signatários -como ocorreu quando tentaram inserir o nome do ex-juiz e pré-candidato ao Senado Sergio Moro (União) sem o seu aval.

    A "Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado democrático de Direito" chega à manhã da cerimônia em que será lida com mais de 910 mil assinaturas.

    Até terça-feira (9), como mostrou a coluna, havia entre os subscritos 129.965 professores, 20.418 empresários, 871 pastores, 467 padres e 207 empregados domésticos.

    Como também mostrou o Painel, mais de 9 mil desempregados e mais de 4 mil motoristas assinaram o manifesto. Para os articuladores da carta, os dados mostram que o movimento está longe de ser elitista.

    O documento que será lido na Faculdade de Direito da USP nesta quinta não cita diretamente o presidente Jair Bolsonaro, mas critica com contundência "ataques infundados" ao sistema eleitoral e ao "Estado democrático de Direito tão duramente conquistado pela sociedade brasileira".

    Embora não seja mencionado, o próprio presidente entendeu que o texto é endereçado a ele e passou a fazer críticas ferozes, dizendo que a "cartinha" foi assinada por pessoas sem caráter, caras de pau e até mesmo por empresários "mamíferos". (Folha Press).

    Publicação em destaque

    TELECOM PROVIDER - INTERNET CAMPEÃ