html image example
DF: Empresária é encontrada morta em funerária; namorado é suspeito ~ Blog Barreiras Noticias | Oeste Baiano no Geral
Um caso triste de feminicídio foi registrado no Distrito Federal na tarde deste domingo (23). Isso porque uma empresária, de 48 anos, foi encontrada morta dentro da funerária onde trabalhava e era dona. De acordo com a Polícia Civil, a vítima é Karla Regina Vieira Pucci Guimarães e o suspeito do crime é seu companheiro, de 46.

Ainda conforme a Polícia Civil, a mulher teria sido morta no final da tarde de sábado (22), a pedradas, sendo o namorado dela, Valdemar Medeiros Sobreira, apontado pela investigação como o principal suspeito. Em nota, a corporação revelou que o suspeito ainda não foi localizado e a procura por ele continua.

Filho encontrou a vítima 

Ainda segundo a corporação, quem encontrou a vítima foi seu filho, que acionou a polícia logo após encontrar a mãe no local. Ela e Valdemar mantinham um relacionamento há seis meses e, de acordo com a investigação, moravam juntos em Sobradinho, também no Distrito Federal.

Números revelados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF) no final de abril mostram que, até aquela ocasião, cinco feminicídios haviam sido registrados nos três primeiros meses de 2021, o mesmo número de 2020.

O que mais impressiona nos dados é o motivo dessas atrocidades: segundo a pasta, 60% dos assassinatos foram motivados por ciúmes ou separação. Além disso, a pasta também revelou que, em 60% das mortes, os autores são ex-companheiros das vítimas.

Se somados os crimes praticados por companheiros e namorados com os quais elas ainda se relacionavam, que é o caso da empresária Karla Regina, o índice sobe para 85%.

Como e onde denunciar violência contra mulheres?

Na nota, a Polícia Civil ainda ressaltou que a SSP-DF tem canais de atendimento que funcionam 24h, podendo as denúncias e registros de ocorrências serem feitas pelos seguintes meios:

  • Telefone 197
  • Telefone 190
  • E-mail: denuncia197@pcdf.df.gov.br
  • WhatsApp: (61) 98626-1197

Por fim, importante destacar que, em casos de flagrante, qualquer pessoa pode pedir o socorro da polícia, seja testemunha ou vítima. Nesse sentido, mesmo em meio a pandemia da Covid-19, as delegacias, consideradas serviço essencial, continuam funcionando normalmente. Trinta delas atendem em regime de plantão ininterrupto de 24h.