html image example
Dia Mundial do Ciclista: acidentes cresceram 36% na Bahia ~ Blog Barreiras Noticias | Oeste Baiano no Geral

Com um número cada vez maior de adeptos, no Dia Nacional do Ciclista, nesta quinta-feira, 19, o objetivo é chamar a atenção para a segurança e a necessidade de conscientização no trânsito, sobretudo diante dos dados da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), que apontou um aumento de 30% no registro de sinistros graves com ciclistas nos primeiros cinco meses de 2021, em comparação a 2020.

Na Bahia, o número de acidentes teve aumento de 36%.

De acordo com os dados da Abramet, entre janeiro e maio de 2019, foram registrados 5.358 sinistros graves com ciclistas, enquanto em 2020, foram 5.222 registros, contra 6.792 no mesmo período de 2021. Já no estado, entre janeiro e maio de 2019, o número de acidentes foi 191, enquanto em 2020, o número foi de 182. Já em 2021, o número foi de 248. Por sua vez, em Salvador, os números têm mostrado redução de 43%, caindo de 56 em 2019, para 13 em 2021.

Perigo

Segundo o presidente da Abramet e secretário geral da Associação Bahiana de Medicina (ABM), Antônio Meira Júnior, como o ciclista acaba absorvendo todo o impacto no corpo, está mais propenso a ter lesões graves, assim como um número maior de óbitos. “Os ciclistas são mais vulneráveis, isso porque eles são menos visíveis no trânsito, competem espaço com veículos maiores e com velocidade superior”, disse.

Para ele, esse cenário reforça a necessidade de maior conscientização quanto a importância de proteger os ciclistas, assim como oferecer infraestrutura adequada, e campanhas trazendo preceitos de cidadania e respeito no trânsito. “Diante do aumento do ciclismo por lazer, com fins saudáveis, e também como forma de locomoção e de trabalho, os condutores de veículos devem estar mais atentos aos ciclistas”, ressaltou Meira Júnior.

Para quem está em cima das duas rodas diariamente, como Júnior Vieira, que é um dos responsáveis pelo grupo Carcará Bike Club, a percepção é que a maioria dos acidentes poderia ser evitada. “Em vias que não tem acostamento, o cargo chefe são as fechadas dos carros. Já em vias que têm acostamento, o problema se dá quando há algum obstáculo e precisamos ir para a via e dividir o espaço com os condutores de automóveis”, contou.

Para ele, entre os principais desafios está a não adequação das cidades para os ciclistas. De acordo com ele, nesta data, os principais pedidos dos ciclistas são “ciclovia ou ciclofaixa e que os motoristas respeitem aquele espaço”. Segundo Vieira, outra preocupação é a segurança. “Existem bicicletas caras e temos tido diversos relatos de pessoas que tiveram sua bike roubada. Todo dia recebemos pelo menos duas fotos para divulgar de equipamentos roubadas”.

Recomendações

Por sua vez, o capitão Lopes, da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), explica que são feitas diversas orientações. “Tentamos sensibilizar os condutores de veículos, que ao visualizar um ciclista, reduza a velocidade e mantenha uma distância de 1,5 m, principalmente em faixas sem acostamento. Ainda precisamos melhorar muito no respeito”.

Para os ciclistas, o alerta é para o  uso de itens de segurança previstos no  artigo 105 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). “Equipamentos são obrigatórios como a campainha sonora, sinalização noturna e o espelho retrovisor do lado esquerdo, capacete”. 

*Sob a supervisão da editora Meire Oliveira

 https://atarde.uol.com.br/bahia/salvador/noticias/2184829-no-dia-mundial-do-ciclista-acidentes-cresceram-36-na-bahia