html image example
Imagens mostram mulher com ex-companheiro antes de desaparecer na BA; ela foi achada morta e homem é suspeito ~ Blog Barreiras Noticias | Oeste Baiano no Geral

Imagens de câmeras de segurança instaladas em um posto de combustível em Feira de Santana, a cerca de 100 quilômetros de Salvador, registraram os últimos momentos de Gabriela Jardim Peixoto, de 35 anos, antes de desaparecer e ser encontrada morta. Segundo a polícia, o ex-companheiro da vítima, o médico Antônio Marcos Rego Costa, é o principal suspeito de cometer o crime.

O material foi a primeira pista seguida pela polícia para investigar o caso. No vídeo, é possível ver o carro de Antônio Marcos chegando ao posto de combustível, por volta das 18h do domingo, 22 de agosto, mesmo dia em que Gabriela foi dada como desaparecida.

Thank you for watching

Minutos depois, o automóvel de Gabriela se aproxima da bomba de combustível ao lado. Antônio Marcos desce do veículo, vai ao encontro de Gabriela e dá algumas orientações para a mulher. Em seguida, ela estaciona o próprio carro e entra no do ex. Dentro do veículo, os dois aparentam ter tido uma discussão.

Gabriela foi encontrada morta no dia 28 de agosto, às margens da BR-116, em Feira de Santana, após seis dias de desaparecimento. Ela foi achada sem as roupas, da cintura para cima.

Na última segunda-feira (30), a delegada que está à frente do caso, Klaudine Passos, disse que testemunhas relataram ter visto a vítima chorando no posto de gasolina. O carro da mulher foi encontrado abandonado no local, com todos os pertences dela.

Segundo a delegada, eles saíram do posto e foram até um estabelecimento na Avenida Fraga Maia. Posteriormente, o carro do suspeito foi visto na BR-116, por volta das 2h.

Investigações
A Polícia Civil pediu a prisão preventiva do ex-companheiro. Gabriela deixou uma filha, mas não há informações se o suspeito é pai da criança. Os dois foram casados durante quatro anos.

“As provas indiciárias não trazem outra pessoa que teria praticado o fato. Até agora, todas as provas corroboram que o autor é o suspeito. Estamos aqui numa linha de ciúmes”, detalha a delegada.
Em depoimentos, testemunhas relataram que os dois viviam um relacionamento com animosidades.

“Já ouvimos a secretária de Gabriela, que disse que o casal tinha uma relação conturbada, com algumas agressões que nós não conseguimos constatar a nível de ocorrência, porque são inexistentes”, explica a delegada.
O suspeito ainda não foi encontrado. O carro dele foi apreendido em um condomínio e segundo a perícia, apresentava vestígios de sangue, mesmo tendo sido lavado.

A principal linha de investigação é que o crime tenha sido praticado por ciúmes. O advogado do médico, Guga Leal, negou a participação do cliente no crime. (G1)