O homicídio consumado aconteceu na noite do último sábado, 13 de novembro, por volta das 23h50, na Travessa Itaipu, no Bairro Castelinho, em frente ao Colégio Pedro Agrizzi, na cidade de Teixeira de Freitas.

Policiais Militares da 87ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) receberam uma solicitação de um homicídio, e ao chegarem no local, encontraram uma vítima fatal e outra baleada (tentativa de homicídio).

Os militares solicitaram apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), e os socorrista realizaram os primeiros procedimentos, socorrendo a mulher baleada para o Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF). A vítima fatal foi identificada como sendo, Rogério Silva dos Santos, 36 anos. A esposa do Rogério foi identificada como Daniele Silva Aristides, também de 36 anos.

Ainda de acordo com as informações, os criminosos pularam o muro do fundo da residência, arrombaram a porta da cozinha, portando uma arma de fogo, e disparou por várias vezes contra a vítima (Rogério), que estava deitado no sofá da sala, assistindo televisão com sua esposa. A Daniele (esposa) foi atingida com um tiro na perna esquerda e outro na barriga. Não há maiores informações sobre o estado de saúde dela.

O delegado plantonista, Marcos Ludovico, esteve no local, acompanhado da Polícia Técnica (DPT), e os peritos Iura Alves e Everton dos Anjos realizaram a perícia de local de ação violenta. Após exame perinecroscópico, os peritos identificaram no corpo do Rogério, aproximadamente 10 (dez) perfurações provocadas por disparos de arma de fogo, calibres 380 e .40 (ponto 40).

Segundo apurou nossa reportagem, a vítima é mototaxista, com número 179, mas, atualmente havia alugado o ponto. O delegado Marco Ludovico autorizou a remoção do corpo para o Instituto Médico Legal (IML) de Teixeira de Freitas. Após necropsia, o corpo será liberado aos familiares para velório e sepultamento.

A autoria e a motivação são desconhecidas. A Polícia Civil instaurou inquérito policial para investigar o homicídio consumado e tentado. //Por: Lenio Cidreira/Libedadenews