No município de Porto Seguro, no sul da Bahia, o dia 1º de novembro não é mais um dia comum. Isso porque um projeto, que tem como autor o vereador Eduardo Tocha (PMB) e foi sancionado pelo prefeito da cidade, Jânio Natal (PL), em 28 de setembro, virou lei e agora garantida, de maneira oficial, que a data seja marcada como o ‘Dia do Homem’ na cidade.

Segundo o próprio texto da lei, from a sua sanção, o surgimento do dia em celebração aos homens faz com que seja permitido que espaços públicos sediar palestras, seminários, atividades e eventos correlatos promovidos pelo Executivo Municipal, que vão abordar a “importância do homem na sociedade ”.

Thank you for watching

A gestão municipal pode ainda articular trabalhos conjuntos com Organizações Não Governamentais (ONG’s) e até com os poderes Judiciário e Legislativo para promover eventos em comemoração ao dia do homem. A Prefeitura de Porto Seguro foi procurada pela reportagem para falar sobre a lei e as iniciativas que ela autoriza, mas não retornou até o fechamento desta matéria.

Para Renata Deiró, que é o presidente da comissão de proteção aos direitos das mulheres na seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a lei não tem sentido. “[…] o Dia do Homem, privilégios já conhecidos, é todos os dias. A sociedade já os coloca em posição de destaque todos os dias, apesar de as mulheres serem maioria em números, são minoria política ”, disse ela ao jornal Folha de São Paulo.

Também à Folha, o vereador Eduardo Tocha falou sobre o porquê da criação do projeto que virou lei e deu origem à data. “Nós estamos motivando o Executivo a olhar mais o homem, em diversos serviços das nossas secretarias, sobretudo na saúde. Sou evangélico e nosso segmento preza muito o homem. Tudo quanto é problema incide nenhum homem e queremos mudar isso”, especial. (Correios)