• Girl in a jacket
  • Bolsonaro é o pior do debate, e Tebet, a melhor, dizem eleitores ~ Blog Barreiras Noticias | Oeste Baiano no Geral

    A candidata Simone Tebet (MDB) foi a candidata mais bem avaliada, enquanto Jair Bolsonaro (PL) foi considerado o presidenciável com o pior desempenho no primeiro debate presidencial, mostra pesquisa qualitativa realizada pelo Datafolha com eleitores indecisos ou que pretendem votar em branco ou anular em outubro.

    Com críticas a corrupção nos governos de Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Tebet, quarta colocada na intenção de votos da última pesquisa Datafolha, foi a melhor avaliada por 43% dos entrevistados.

    Já Bolsonaro teve o pior desempenho para 51% dos participantes. Em segundo, aparece Lula, com 21%.

    O debate organizado por Folha, UOL e TVs Bandeirantes e Cultura reuniu Lula, Bolsonaro, Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB), Luiz Felipe d'Avila (Novo) e Soraya Thronicke (União Brasil) na noite deste domingo (28) na sede da Band em São Paulo.

    A pesquisa qualitativa do Datafolha ouviu 64 pessoas, que foram separadas em três salas virtuais enquanto assistiam ao debate. Elas avaliaram a performance dos candidatos nos três blocos e, ao fim, elegeram quem se saiu melhor.

    Segundo a última pesquisa Datafolha, realizada de 16 a 18 de agosto, 6% dos eleitores têm intenção de votar em branco ou nulo em outubro e 2% ainda não sabem em quem votar.

    No primeiro bloco, quando candidatos responderam a uma pergunta sobre programas de governo e participaram de uma rodada de confrontos, Jair Bolsonaro teve a pior avaliação para 41% dos participantes. Já Lula foi considerado o pior para 21% dos presentes.

    Durante o bloco, Bolsonaro atacou Lula sobre corrupção, enquanto o petista criticou o "abandono da educação" no atual governo.

    Ciro Gomes e Simone Tebet tiveram o melhor desempenho entre eleitores, sendo indicados por 31%. Bolsonaro foi considerado o melhor por 11% e Lula, por 6%.

    Ciro Gomes criticou o PT ao dizer que os problemas econômicos não começaram no governo Bolsonaro e atacou duramente Bolsonaro sobre suas recentes falas em relação à fome no Brasil. Na semana passada, o presidente questionou dados sobre o tema e disse que não havia "fome para valer" no país.

    Tebet, por sua vez, afirmou que decretaria calamidade para criar crédito extraordinário para a saúde, a fim de atender a pacientes que permanecem com sequelas da Covid-19. "Rico não pode ter tratamento de saúde de excelência enquanto o pobre morre nos hospitais", afirmou.

    Disse, ainda, que implementaria um programa de poupança para estudantes de R$ 5 mil anuais.

    No segundo bloco, Tebet manteve a posição de melhor avaliada entre os indecisos e com intenção de votar em branco. Para 37%, ela se saiu melhor, seguida de Ciro Gomes, com 22%.

    Bolsonaro foi apontado com o candidato com o pior desempenho para 45% dos entrevistados.

    No segundo bloco, ele atacou a jornalista Vera Magalhães, da TV Cultura, ao afirmar que ela era uma "vergonha para o jornalismo brasileiro". Por vários minutos, foi criticado por Tebet e Soraya por sua postura machista.

    Tebet aproveitou para levantar propostas paridade salarial entre homens e mulheres e dizer que foi ameaçada durante a CPI da Covid quando investigava a omissão do governo durante a pandemia.

    Ela e o pedetista foram os mais bem avaliados nas suas respostas, com 73% e 71% de ótimo e bom, respectivamente. Lula recebeu 49% de ótimo e bom e 22% de ruim e péssimo.

    No terceiro e último bloco, houve confronto direto entre os candidatos, com uma rodada de pergunta, resposta e tréplica, além de uma pergunta para cada um deles sobre o respectivo programa de governo.

    "Houve corrupção e tentativa de comprar vacinas superfaturadas", disse Tebet referindo-se ao caso da Covaxin, ao responder Lula, que a questionou sobre a CPI da Covid. Na mesma resposta, ela destacou a corrupção do governo do petista.

    A pesquisa do Datafolha deste domingo não é representativa da população brasileira e visa mostrar a percepção de eleitores indecisos sobre seu voto ou que pretendem votar em branco ou nulo em outubro.

    A metodologia reuniu cerca de 30 eleitores não convictos dos três presidenciáveis mais bem posicionados nas pesquisas. São eleitores de Lula (PT), de Jair Bolsonaro (PL) e de Ciro Gomes (PDT). Além disso, foram incluídos eleitores indecisos de outros candidatos.

    A amostra agregou homens e mulheres de 22 a 69 anos, moradores de todas as regiões, escolaridade variada, de ensino fundamental a superior e renda familiar mensal entre dois e 10 salários mínimos. Havia eleitores assalariados, autônomos, profissionais liberais, funcionários públicos, desempregados e estudantes. (Folha Press).

    Publicação em destaque

    TELECOM PROVIDER - INTERNET CAMPEÃ