O cantor de pagode, Marcelo Pires Vieira, popularmente conhecido como Belo, foi preso nesta quarta-feira (17), quatro dias após a Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), da Polícia Civil do Rio de Janeiro, investigar um show clandestino que o artista participou numa escola estadual do Complexo da Maré, no sábado (13).


A operação que prendeu o cantor foi nomeada de “É o que eu mereço”, em referência a uma de suas músicas. Belo chegou à DCOD por volta das 15h30 desta quarta.

De acordo com o G1, ao chegar à delegacia, o cantor afirmou que precisa “saber o que está acontecendo enquanto achar que cantar e fazer musica é crime”.


Além do artista, a DCOD cumpriu também quatro mandados de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão. Uma das buscas foi na sede da produtora Série Gold, que organizou o evento, onde a polícia apreendeu equipamentos, a aparelhagem de som, documentos e veículos.

Os mandados foram contra: Célio Caetano, sócio da produtora – já detido; Henriques Marques, o Rick, sócio da produtora – já detido; e Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, chefe do tráfico no Parque União – não havia sido detido até a última atualização da reportagem do G1.