• Girl in a jacket
  • “Tenho 80% dos ministérios na minha cabeça”, afirma Lula em Brasília ~ Blog Barreiras Noticias | Juninho Sem Maquiagem

    A indicação para os ministérios acontecerá após diplomação, no dia 12 de dezembro, afirmou o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), durante entrevista coletiva na sede do gabinete de transição, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília. Essa foi a primeira entrevista coletiva que o presidente concedeu após passar por uma cirurgia na garganta.

    Eu vou ser diplomado no dia 12. Depois que eu for diplomado, depois que eu for presidente da República reconhecido, eu começo a escolher o meu ministério. Não precisa ninguém ficar angustiado, nervoso, criando expectativa porque eu, no fundo, já tenho 80% do ministério na cabeça", disse o presidente eleito.

    Questionado sobre quantos ministérios terão em seu governo, o petista afirmou que terá como base aqueles que já tinham em seu segundo mandato. “Com apenas uma coisa acrescida, que será dos Povos Originários, que estamos estudando se vai ser ministério mesmo ou secretaria”, avaliou.

    Em relação aos nomes que irão compor esses ministérios, Lula também não revelou nenhum nome, pois ainda não tem nada definido, pois ainda está em processo de conversas com “todas as forças políticas”.

    Sobre as especulações sobre os futuros ministros e as reações do mercado em relação ao “mistério" em torno dos nomes, Lula foi breve na resposta. "Se eu tiver que anunciar, vou anunciar. O que vai valer é quando eu falar. Quando eu falar é definitivo”, declarou o futuro presidente.

    GLEISI FORA DOS MINISTÉRIOS

    Durante toda a entrevista, estava ao lado de Lula a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann. Na ocasião ele comentou sobre o fato da deputada não comandar nenhum ministério em sua futura gestão.

    "Eu tive uma discussão com a companheira Gleisi e disse para a companheira Gleisi que, primeiro, o PT é um partido muito grande, o PT é um partido muito importante e o PT é um partido majoritário na montagem da governança dentro do Congresso Nacional. […] Então, o fato de eu ter dito para a Gleisi que ela não será ministra é o reconhecimento do papel que a Gleisi tem na organização política do PT no Brasil", afirmou o petista.

    AGENDA EM BRASÍLIA

    Lula chegou a Brasília na noite de domingo (27) e teve uma agenda intensa de negociações para destravar a PEC da Transição no Congresso Nacional.

    Após sua chegada, o petista se reuniu, no hotel que está hospedado, na área centra de Brasília, com integrantes da equipe de transição e com políticos de partidos que poderão compor sua futura base no Congresso Nacional, como MDB e PSD.

    Já na quarta-feira (30), Lula teve reuniões com o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), para tratar das negociações e chegar a acordos com os presidentes das duas Casas, para que a proposta possa tramitar com agilidade.

    Na quinta-feira (1), o petista se encontrou com centrais sndicais. Além dos presidentes das centrais sindicais, o petista também convidou representantes de sindicatos dos bancários, construção civil, químicos, entre outros, para a reunião desta quinta.

    Nesta sexta-feira (2), o presidente eleito retorna a São Paulo. A previsão é que Lula embarque antes do horário do jogo do Brasil, que está marcado para as 16h, e assista por lá. "Vou para casa hoje e ver se dá tempo de assistir o segundo tempo do jogo. Domingo volto para trabalhar na segunda”, disse.

    Durante a coletiva dessa sexta, Lula palpitou sobre a Copa e disse que a seleção do Brasil precisa “tomar cuidado” com a Espanha, Inglaterra e França. Já sobre o placar do jogo desta sexta, o palpite do petista é que o Brasil ganhará de 2 a 0 de Camarões. (Bahia Notícias).

    Publicação em destaque

    TELECOM PROVIDER - INTERNET CAMPEÃ